Diversidade religiosa por nacionalidades…

Imagem em Destaque
Diversidade religiosa por nacionalidades…

Segundo dados recolhidos no Censo de 2011, cerca de metade (48%) dos estrangeiros residentes em Portugal declaravam ser católicos (ainda assim menos 42 pontos percentuais que o verificado no caso dos portugueses). Entre a população estrangeira, destacavam-se ainda os ortodoxos (16% do total de estrangeiros com religião) e os irreligiosos (11% do total de estrangeiros respondentes, ou seja, mais 4 pontos percentuais que o verificado nos portugueses).



 

A análise da composição das diversas religiões pela variável nacionalidade permite ainda evidenciar que em Portugal os residentes das religiões ortodoxa e muçulmana são maioritariamente de nacionalidades estrangeiras: 85% dos inquiridos que reportaram ter como religião a ortodoxa tinham uma nacionalidade estrangeira e 52% no caso da religião muçulmana. Em contraste, na religião católica - assumindo-se como a ‘religião maioritária’ do país - os estrangeiros diluem-se representando apenas 2% do universo geral de católicos, embora 48% do total de estrangeiros inquiridos tenha reportado ter a religião católica.

Com importâncias relativas menores mas ainda assim expressivas, surgem também os estrangeiros noutras religiões. Tendo por referência que os estrangeiros no Censo de 2011 representavam apenas 3,7% do total de residentes em Portugal, nota-se que em todas as religiões reportadas diferentes da religião católica há uma importância relativa expressiva de estrangeiros: 34% dos inquiridos que reportaram ser protestantes eram estrangeiros, 25% no caso dos inquiridos de outras religiões não cristãs, 18% em outras religiões cristãs e 15% dos judeus.
 


Uma análise ainda mais fina da composição das diversas religiões pela variável nacionalidade permite destacar a associação de algumas nacionalidades a determinadas religiões. Relativamente ao universo de ortodoxos observa-se uma sobre representação de estrangeiros com nacionalidade de um país da Europa de Leste (54% do total de inquiridos que nos Censos declararam ser ortodoxos eram da Europa de Leste, sendo que um em cada três ortodoxos era nacional da Ucrânia) e da União Europeia (29,4%), representando os portugueses apenas 15%.

Já no universo de pessoas que declararam ser de religião muçulmana destacam-se os nacionais de países africanos (34% do total de muçulmanos registados no Censo de 2011), em particular de Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) que representaram 22% do total de muçulmanos, seguindo-se os nacionais da Ásia (14%). No universo de muçulmanos, no Censo de 2011, os portugueses representaram 48%.

Por contraste, nos universos de católicos, de protestantes e de judeus, evidenciam-se os cidadãos de nacionalidade portuguesa. Entre as pessoas que se declaram protestantes, dois em cada três possuem nacionalidade portuguesa, muito embora 18% sejam estrangeiros essencialmente de origem da América do Sul, nomeadamente do Brasil. Relativamente ao universo de religião judaica, quatro em cada cinco tem a nacionalidade portuguesa, tendo metade dos estrangeiros identificados com esta religião a nacionalidade de um país da União Europeia. No que se refere às “outras religiões cristãs”, embora se verifique a prevalência de pessoas de nacionalidade portuguesa (82%), entre os 18% de estrangeiros, três em cada cinco tem nacionalidade brasileira. Em relação às “outras religiões não cristãs”, entre os 25% de estrangeiros desse universo, observa-se uma sobre representação de asiáticos.