Diversidade religiosa no mundo…

Imagem em Destaque
Diversidade religiosa no mundo…

O Índice de Diversidade Religiosa para o mundo apurado no relatório Global Religious Diversity - divulgado em 2014 pelo Pew Research Center e baseado em 2.500 Censos, inquéritos demográficos de grande escala e inquéritos à população - coloca Portugal no grupo de países e territórios com baixa diversidade religiosa. Neste estudo a diversidade religiosa é conceptualizada e medida através de um índice que assume o seu valor máximo teórico quando a população se distribui equitativamente (12,5% em cada) pelas oito categorias de religião consideradas: budistas, cristãos, hindus, judeus, muçulmanos, sem religião, religiões populares e outras religiões. Portugal obteve 1.4 pontos no índice, o que o coloca no conjunto dos países e territórios com baixa diversidade religiosa. Este conjunto, que integra 60% dos 232 países e territórios, caracteriza-se por todos terem índices inferiores a 3.1. Em contraste, de acordo com esta fonte, nas regiões com países de muito alta diversidade religiosa destacam-se a Ásia-Pacífico – realce Singapura (9), Vietnam (7.7), Coreia do Sul (7.4) e China (7.3) – e a África Subsaariana – realce para Guiné-Bissau (7.5) e Moçambique (7.0) -, embora o conjunto destes países (com índice entre 7 e 10 pontos) apenas represente 5% do total de países e territórios estudados. Finalmente nas regiões com alta (índice entre 5.3 e 6.9) ou moderada (índice entre 3.1 e 5.2) diversidade religiosa surgem, por sua vez, as regiões da América do Norte – destaque para o Canadá (5.3) e os EUA (4.1) – e da Europa do Norte – destaque para Holanda (6.4), França (5.9), Bélgica (5.7), Suécia (5.4), a Alemanha (5.3) e o Reino Unido (5.1).
 


A Divisão da População das Nações Unidas publica também informação estatística acerca da diversidade religiosa nos diferentes países do mundo, tendo por referência dados censitários que recolhem informação da autoidentificação de inquiridos com a religião. Recorrendo a esses dados calculou-se a importância relativa da ‘religião maioritária’ - designação nossa para referir a religião com a qual a maioria dos residentes do país se autoidentifica -, procurando deste modo (indiretamente) aferir a margem de diversidade religiosa ou, por oposição, a preponderância de uma dada religião. Nesse cálculo optou-se por extrair os dados omissos, acentuando assim a importância relativa das opções de resposta efetivamente escolhidas. Deve reconhecer-se, porém, que o número relativo de pessoas que se identifica ou não com a ‘religião maioritária’ é uma medida simplista da diversidade religiosa, uma vez que este resultado não afere o número de diferentes religiões existente no país.



 

Os dados das Nações Unidas permitem contrastar países onde se verifica uma primazia de uma dada religião (com Portugal entre os exemplos) com países onde a margem para a diversidade religiosa é maior em virtude de a ‘religião maioritária’ não concentrar mais de um terço do total de inquiridos que responderam à questão (e.g. Moçambique e Alemanha). Portugal está ainda longe de apresentar um panorama religioso tão diverso como o de países tradicionalmente de destino migratório – caso da Alemanha ou do Canadá. Nesses países apenas três e quatro em cada dez pessoas, respetivamente, se identificam com a religião que aí é maioritária, quando em Portugal a relação se mantém em nove em cada dez pessoas da ‘religião maioritária’. Na Europa, os países mais semelhantes a Portugal para os quais há dados censitários no sítio UNdata são Irlanda (86%), Chipre (95%) e Polónia (96%) - tendo esses países, cada qual à sua forma, uma história marcada pela questão religiosa.