A Escola no caminho da fixação dos imigrantes de Leste no interior do país

O número 19/20 da revista Sociedade e Trabalho, editada pela Direcção-Geral de Estudos, Estatísticas e Planeamento (DGEEP) do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social, inclui um artigo sobre o papel e lugar da escola na integração e fixação de imigrantes de Leste no interior de Portugal, desenvolvido por José Palma Rita, sociólogo e professor do Instituto Superior de Serviço Social de Beja, e Paula Lopes Rita, professora do primeiro ciclo do Ensino Básico. Disponibiliza-se aqui o resumo do artigo e um documento sobre o estudo realizado.

 

 

“A Escola no caminho da fixação dos imigrantes de Leste no interior do país. Constrangimentos e desafios”

José Palma Rita e Paula Lopes Rita

Revista "Sociedade e Trabalho", n.º 19/20

Fevereiro de 2004

DEEP-MST

 

Resumo


"A mensagem institucional que tem vindo a ser repetidamente veiculada aponta a imigração como um fenómeno francamente positivo para Portugal e uma oportunidade para o país dar um salto qualitativo no seu desenvolvimento. Para isso, é necessário começar a encarar o fenómeno migratório à luz da diversidade que ele encerra: quase 500 mil imigrantes em Portugal, oriundos de 179 países, que falam 230 línguas maternas diferentes. Gerir essa diversidade sem a temer e promover a sua inserção activa na comunidade nacional, assegurando elevados níveis de coesão social, configuram-se como grandes e nada fáceis desafios para os próximos anos, no que toca à inserção dos imigrantes e minorias.

Apesar dos fluxos migratórios que passou a acolher nos últimos anos, Portugal continua a ignorar a diversidade daí resultante ou, pelo menos, a ter dificuldades na sua gestão. Prova disso é a ausência de um discurso assente na multiculturalidade e a insuficiência de políticas integradas, ajustadas ao facto de a população estrangeira estar a caminho de representar 5% da população residente.

As práticas dos agentes educativos constituem apenas um exemplo. A Presidente da Associação Respublika (Imigrantes Russófonos) chamava recentemente a atenção para o facto de os cidadãos imigrantes terem as suas raízes culturais e terem direito à sua preservação, nomeadamente no que se refere ao ensino da sua língua e à preservação das suas tradições."

 

Sobre os autores do estudo

José Palma Rita é Sociólogo, Técnico Superior do IEFP e Docente do Instituto Superior de Serviço Social de Beja.

Paula Lopes Rita é Professora do Primeiro Ciclo do Ensino Básico, Técnica da Equipa Multidisciplinar do PEETI Alentejo.

 

Mais informações sobre este número da Revista "Sociedade e Trabalho" em:

http://www.deep.msst.gov.pt/edicoes/revistasociedade/19.php

Mais informações sobre a Revista em:

http://www.depp.msst.gov.pt/edicoes/soc_trab.html



Nota: O documento que deu origem a este artigo, disponibilizado pelos autores, encontra-se disponível aqui.