A População Chinesa em Portugal

A propósito das comemorações do Ano Novo Chinês com início a 8 de fevereiro de 2016, esta newsletter do Observatório das Migrações dedica especial atenção à imigração chinesa em Portugal – a nona população estrangeira numericamente mais representativa no país, com a mais baixa taxa de desemprego, a mais alta taxa de empreendedorismo, mais geradora de emprego, e com a mais alta taxa de fecundidade geral das mulheres.

Nesta segunda newsletter de 2016, começamos por analisar sumariamente os principais números da imigração chinesa a partir de algumas fontes oficiais sistematizadas na Coleção Imigração em Números do Observatório. São consideradas as suas características e particularidades face às demais populações imigrantes que o país tem vindo a acolher nas últimas décadas. É dado neste âmbito algum destaque a algumas tendências mais recentes desta imigração que, na realidade, têm surgido contracorrente e em contraciclo com o verificado para os portugueses e as outras populações residentes em Portugal.

Destacam-se ainda alguns trabalhos publicados nas várias linhas editoriais deste Observatório que têm estudado esta população imigrante (e.g. estudos, teses, artigos científicos) e outras obras de referência da academia nacional que têm aprofundado a análise da integração da imigração chinesa em Portugal e cujo escrutínio académico teve início principalmente a partir do ano 2000.

Já fora deste eixo temático, esta newsletter OM destaca ainda algumas das mais recentes publicações na área das Migrações – entre livros, monografias, working papers e relatórios de projeto – bem como diversas oportunidades para investigadores que trabalham nesta área, nomeadamente chamadas para comunicações em conferências, congressos e seminários que se realização ao longo do ano 2016.