Diversidade e Diálogo Intercultural nas Coleções do Observatório

Imagem em Destaque
Diversidade e Diálogo Intercultural nas Coleções do Observatório

O Observatório, desde a sua génese em 2002, tem dedicado especial atenção ao estudo da diversidade cultural tendo em 2007 lançado mesmo uma linha editorial denominada Portugal Intercultural antecipando outras publicações do OM que assinalaram o Ano Europeu do Diálogo Intercultural de 2008. Nesta coleção constam as seguintes obras:

 

Portugal: Percursos de Interculturalidade, 4 Vols. (Mário Ferreira Lages e Artur Teodoro de Matos, orgs.) Portugal Intercultural

A edição de quatro volumes “Portugal: Percursos de Interculturalidade” que integra a coleção Portugal Intercultural, assinalou nas edições do Observatório o Ano Europeu do Diálogo Intercultural de 2008. O objetivo destes volumes que resultam de coletâneas de artigos foi  o de oferecer ao grande público uma reflexão alargada e profunda sobre as temáticas da interculturalidade e da multiculturalidade tal como concebidas pelos vários domínios científicos. Cada volume, com a interculturalidade como denominador comum, concretiza-se de forma diferenciada: o volume I aprofunda as ‘Raízes e Estruturas’ da interculturalidade, multiculturalidade e aculturação; no volume II analisam-se os ‘Contextos e Dinâmicas’, integrando artigos sobre vários olhares da imigração em Portugal, o volume III traz as ‘Matrizes e Configurações’ da diversidade cultural, abordando alguns dos mitos, rituais e marcas da diversidade cultural, linguística e religiosa; finalmente o volume IV e aborda os grandes ‘Desafios à Identidade’ que a diversidade cultural pode trazer, destacando-se nesse volume um artigo do fundador deste Observatório – o Professor Roberto Carneiro – acerca da educação intercultural, onde é dado nomeadamente o enquadramento que deu origem ao Secretariado Entreculturas. O projeto contou com a contribuição de mais de 30 autores de áreas tão diversas quanto a História, a Economia, a Filosofia, a Sociologia, a Biologia e a Antropologia.

Artigos dos quatro volumes disponíveis para download gratuito aqui.

 

A Interculturalidade na Expansão Portuguesa (Séculos XV-XVIII) (João Paulo Oliveira e Costa e Teresa Lacerda), Portugal Intercultural 1

O primeiro número da coleção Portugal Intercultural, lançado em 2007, trouxe para as linhas editoriais do Observatório o contributo da História. Este livro procurou demonstrar, a partir de marcas históricas, a presença e cruzamento de povos e culturas na identidade portuguesa, centrando a sua análise nas influências culturais recíprocas durante o período da expansão e consolidação do Império Ultramarino Português. Ao longo desta obra, os autores examinam os processos interculturais que emergiram não só nos locais do império, mas também na metrópole, atendendo à influência recíproca que os povos exerceram na sociedade portuguesa da época. Para estes investigadores, o aspeto inédito de maior relevância na expansão portuguesa foi o facto de, a partir do século XV, “uma mesma civilização interferir simultaneamente em inúmeras regiões do Globo” e de “pela primeira vez na História, um mesmo modelo civilizacional insinuar-se ao mesmo tempo junto de sociedades dos outros três grandes continentes e criar, numa mesma época, sociedades coloniais de matriz semelhante, dispersas por todo o mundo”. Concluem ainda que as marcas da interculturalidade se encontram essencialmente a partir do séc. XVII, estando praticante ausente durante a fase anterior, em que Portugal dispunha de um império essencialmente marítimo.

Livro disponível para download gratuito aqui.

 

António Vieira: Pioneiro e Paradigma de Interculturalidade (Maria Manuela Lopes-Cardoso), Portugal Intercultural 2

A propósito da celebração do Ano Europeu do Diálogo Intercultural e do IV.º Centenário do nascimento do Padre António Vieira, o Observatório reeditou em 2008 esta obra de Maria Manuela Lopes-Cardoso, dada à estampa originalmente do ano de 2001. A autora sublinha a atualidade da obra de António Vieira, colocando em destaque a dimensão intercultural e precursora que marcou a vida e obra deste jesuíta português. Depois de um capítulo introdutório de esclarecimento metodológico, a autora dá um retrato global da conjuntura socioeconómica do Portugal dos séculos XVI e XVII, à qual se segue uma cronologia dos principais acontecimentos na vida do Padre António Vieira. Os capítulos 3 e 4 aprofundam a influência do contexto político e do percurso educativo na vida e obra de Vieira, enquanto o capítulo 5 se centra nas questões da interculturalidade na ação missionária e humanista deste jesuíta português.

Livro disponível para download gratuito aqui.

 


Outros livros de diferentes linhas editoriais do Observatório têm refletido também sobre vários temas e marcas da diversidade cultural e do diálogo intercultural em Portugal. Destacamos algumas dessas obras:

 

Casais Biculturais e Monoculturais: Diferenças e Recursos (Wolfgang Lind) Teses 38
Este trabalho reflete a dissertação de doutoramento em Psicologia (Especialidade de Psicologia Social) que Wolfgang Rüdiger Lind concluida em 2008. O livro constitui-se como um estudo pioneiro sobre casais interculturais em Portugal, cuja prevalência tem aumentado nas últimas décadas em Portugal. Para uma melhor compreensão acerca da prevalência ou não de especificidades de casais biculturais, o estudo compara 278 casais monoculturais com 146 casais biculturais através de questionários sobre a satisfação conjugal e rituais familiares, concluindo que os casais monoculturais e biculturais não diferem substancialmente na satisfação conjugal global. No entanto, os casais biculturais revelaram um maior grau de intimidade e também um maior grau de conflitos. Os resultados apontam ainda para a existência de um papel preponderante da família de origem da mulher na transmissão dos rituais familiares.

Livro disponível para download gratuito aqui.

 

Fluxos Matrimoniais Transnacionais entre Brasileiras e Portugueses: Género e Imigração (Paulo Raposo e Paula C. Togni) Estudos 38

Esse livro debruça-se sobre os fluxos matrimoniais transnacionais entre brasileiras e portugueses, analisando a ligação entre género (feminino), nacionalidade (brasileira) e conjugalidade. A pertinência do objeto de estudo justificou-se pela escassez de estudos e bibliografia em Portugal sobre esta temática e pela perceção exponencial de um fenómeno social alimentado nos média e nas agendas e medidas políticas. A investigação foi realizada entre 2006 e 2008 e recorreu a uma abordagem qualitativa baseada em entrevistas qualitativas semiestruturadas individuais e em grupo. O perfil sociodemográfico dos entrevistados, oriundos na sua generalidade da Grande Lisboa e do Algarve, foi analisado através de dados referentes à contextualização geográfica, idade, escolaridade, atividade laboral, motivo da imigração (no caso das mulheres), o contexto do contacto com o cônjuge e o estatuto sociojurídico em Portugal (das mulheres). As mulheres entrevistadas demonstraram percursos migratórios bastante heterogéneos, enquanto os homens revelaram características sociodemográficas – idade, escolaridade, classe social, sector da atividade profissional - bastante análogas.

Livro disponível para download gratuito aqui.

 

Diversidade Étnica e Cultural na Democracia Portuguesa: Não-nacionais e Cidadãos Nacionais de Origem Migrante na Política Local e na Vida dos Partidos Políticos (Isabel Estrada Carvalhais e Catarina Reis Oliveira) Estudos 56

O livro tem a sua génese nos resultados obtidos no âmbito de um projeto de investigação europeu que envolveu oito países (projeto DivPol – mais AQUI), entre os quais Portugal. O estudo discute e analisa o acesso dos imigrantes e dos nacionais de origem imigrante a direitos políticos em Portugal, no contexto da crise contemporânea do exercício da cidadania política. Neste sentido, procura perceber se se verifica um crescente desinteresse nas populações estrangeiras residentes em Portugal no exercício de direitos políticos ou, em alternativa, se existe um acrescente falta de acesso ao exercício de direitos políticos no país. A partir das perceções dos participantes de quatro focus groups e dos dados obtidos em 51 entrevistas individuais, o estudo analisa ainda a relação que se estabelece em Portugal entre os partidos políticos e os cidadãos imigrantes e de origem imigrante (capítulo 2), e a efetiva participação e representação política dos imigrantes percecionada pelas elites políticas e pelos representantes de comunidades imigrantes (capítulo 3). Conclui com a sinalização de algumas oportunidades e obstáculos identificados ao lugar da diversidade cultural e étnica na democracia portuguesa e com uma secção final em que constam recomendações dirigidas a diferentes atores: partidos e elites políticas, legisladores, sociedade civil e investigadores.

Livro disponível para download gratuito aqui.

 

A Liberdade Religiosa como Estímulo à Imigração (Paulo Reis Mourão) Cadernos 2

O segundo Caderno do Observatório descreve a metodologia de construção de um Índice de Liberdade Religiosa e a relevância do respeito pela Liberdade Religiosa enquanto fator propiciador de movimentos migratórios, em especial daqueles que têm por destino Portugal. O autor constata que, em geral, os países europeus e americanos são aqueles que ostentam valores mais elevados neste Índice enquanto, em contrapartida, os países africanos e os países asiáticos evidenciam valores menos expressivos. Na segunda parte do documento, pormenoriza-se a inferência estatística alcançada sobre a relação entre a Liberdade Religiosa e o volume da imigração portuguesa. Neste contexto, conclui-se que a imigração portuguesa responde, positivamente, a uma maior Liberdade Religiosa do que a verificada no país de origem dos imigrantes. Verifica-se ainda que o número de pedidos de asilo recebidos no nosso país responde positivamente a um agravamento da situação dos direitos de Liberdade Religiosa nos países emissores.

Caderno disponível para download gratuito aqui.

 

Continue a acompanhar estas e outras publicações do Observatório disponíveis para consulta gratuita em http://www.om.acm.gov.pt/publicacoes-om.