Ensino do Português no estrangeiro…

Imagem em Destaque
Ensino do Português no estrangeiro…


 

Com o objetivo de promover a aprendizagem da língua portuguesa enquanto aproximação à sua diáspora no mundo ou como forma de cooperação para o desenvolvimento, Portugal tem promovido uma Rede de Ensino do Português no Estrangeiro. Esta rede, gerida pelo Camões - Instituto de Cooperação e da Língua, I.P., consubstancia-se numa oferta de cursos de aprendizagem do português para os níveis do ensino pré-escolar, básico e secundário, em coordenação com diversos Ministérios de Educação de vários países do mundo onde está representada, com instituições e agentes locais com responsabilidades educativas e as associações das diásporas de língua portuguesa. No âmbito da Rede de Ensino do Português no Estrangeiro coexistem três programas: (1) o Programa Português Língua de Herança procura estimular a aproximação às comunidades portuguesas emigradas promovendo a difusão da língua portuguesa enquanto fator identitário das diásporas; (2) o Programa Português no Mundo incentiva a aprendizagem e introdução à língua portuguesa como opção curricular; e (3) o Programa Educação para Todos assume o ensino do português como “língua segunda” e como “língua estrangeira”.
 


Em 2015 a Rede de Ensino de Português no Estrangeiro chegou a 84 países distribuídos pelos vários continentes, estabilizando o número de formandos em cerca de 160 mil (157.586) distribuídos pelos três programas de ensino do português. O Programa Português Língua de Herança abrangeu cerca de 68 mil alunos/formandos em 2015, dos quais 44.302 alunos integraram a rede oficial da educação com quadros do Camões I.P., promovida em 13 países (Alemanha, Andorra, Bélgica, Espanha, França, Luxemburgo, Países Baixos, Reino Unido, Suíça; África do Sul, Namíbia, Suazilândia, Zimbabué) e 23.924 alunos integraram a rede apoiada promovida nos Estados Unidos da América (EUA), Canadá, Venezuela e Austrália.

O Programa Português no Mundo abrangeu em 2015 cerca de 43 mil alunos/formandos desenvolvendo-se em 36 países distribuídos pelo espaço europeu, norte-americano e, parcialmente, no asiático (Coreia do Sul e Japão). Entre 2012 e 2015, no âmbito deste programa, foram ainda promovidos projetos-piloto de introdução do português como língua de opção curricular do ensino secundário em cinco novos países europeus: Bulgária, Croácia, Noruega, República Checa e Roménia. Entre estes países europeus destaca-se a Bulgária e a Roménia com o maior número de alunos abrangidos, sendo importante realçar que estes dois países encontram-se entre as principais nacionalidades imigrantes representadas em Portugal.

Finalmente o Programa Educação para Todos contemplou em 2015 cerca de 47 mil alunos, abarcando o ensino do português como “língua segunda” nos espaços da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) e o ensino do português como “língua estrangeira” nos países do Espaço Ibero-americano, da África Austral e Magrebe. Os projetos implementados conduziram à formação de 28.674 formandos nos países da CPLP e de 18.667 formandos nos países do espaço Ibero-americano, da África Austral e Magrebe.

 

Para mais detalhes acerca destes dados consultarColeção Imigração em Números deste Observatório, nomeadamente o Relatório Estatístico Anual de 2016 (Oliveira e Gomes, 2016), cap. 4. pp. 77-86, bem como no separador Estatísticas e Sensibilização, os Posters Estatísticos.

Também na área Compilações Estatísticas do sítio do OM consultar dados estatísticos acerca da Aprendizagem da Língua Portuguesa.