Ler História: Discriminação na UE - Mundos Separados, Desígnios Comuns

Imagem em Destaque

O número 52 da revista Ler História, editada pelo Centro de Estudos de História Contemporânea Portuguesa (CEHCP/ISCTE), inclui na Secção Críticas e Debates  um texto de análise dedicado ao tema "Discriminação na União Europeia: mundos separados, desígnios comuns", de Carlos Maurício, professor do Departamento de História do ISCTE, investigador do CEHCP/ISCTE e editor do sítio Materiais para o Estudo da Nação, Etnicidade e Nacionalismo (MENEM). No presente artigo Carlos Maurício desenvolve uma abordagem crítica dos resultados do Eurobarómetro sobre discriminação na União Europeia (2007) através de uma análise de indicadores - económicos, sociais, históricos e culturais - relativos aos diferentes países abrangidos pela sondagem do Eurobarómetro e da informação publicada em relatórios internacionais de direitos humanos. A discriminação com base em critérios etno-religiosos é uma das questões analisadas pelo autor no presente contributo

 

 

Carlos Maurício, "Discriminação na União Europeia: mundos separados, desígnios comuns", Ler História, 52, Lisboa:CEHCP/ISCTE, 2007, pp. 213-219.

Apresentação

"Publicado no passado mês de Janeiro, o Eurobarómetro 263 divulga o relatório e os dados em bruto de um inquérito aplicado, em Junho de 2006, no conjunto dos actuais 27 Estados-membros da União Europeia. (...) Este trabalho é extremamente oportuno - e oferece um importante contraponto ao tipo de abordagem fornecido pelos relatórios anuais dos direitos humanos, tão utilizados pelas ONG's, pelas agências governamentais e pelos investigadores na área. Certas opções conceptuais e metodológicas afiguram-se porém problemáticas. Falo, em especial, do não-cruzamento das respostas com outras variáveis nacionais, do evitar de qualquer interpretação das mesmas que ultrapasse um carácter genérico e válido para toda a UE e da redução das diferenças e semelhanças intra-comunitárias à dicotomia entre a velha UE15 e os novos Estados-membros. Estas opções são de molde a deixar insatisfeitos os que pretendem compreender um pouco melhor a nova Europa e o mundo. O discurso politicamente correcto acaba por ser sempre cientificamente um pouco míope." (p. 213)

Os documentos do Eurobarómetro 263, objecto de análise no presente texto, encontram-se disponíveis para consulta aqui.

 

Mais informação sobre o trabalho de Carlos Maurício disponível aqui. O sítio Materiais para o Estudo da Nação, Etnicidade e Nacionalismo (MENEM), que reúne bibliografias, cronologias, bases de dados e ligações, encontra-se disponível em http://menen.dh.iscte.pt