Países da OCDE Lutam por Imigrantes Muito Especializados

Países da OCDE Lutam por Imigrantes Muito Especializados

Por RICARDO DIAS FELNER
Quinta-feira, 22 de Janeiro de 2004, Jornal Público

 

Em 2001, a Alemanha contratou 13 mil especialistas estrangeiros em computadores; no mesmo ano, a França deu visto a cerca de quatro mil engenheiros informáticos; a Irlanda fixou uma quota para de 36.400 autorizações de residência só para "trabalhadores altamente especializados"; e a Inglaterra mais do que duplicou esse valor. Os dados mostram uma clara tendência na gestão dos fluxos migratórios, já patente no final da década de 90: aos estados ricos faltam trabalhadores para serviços pouco qualificados, mas também técnicos habilitados em determinadas áreas.


Ver mais sobre esta notícia em http://jornal.publico.pt/2004/01/22/Sociedade/S01.html