Portugal Terá Menos Um Milhão de Pessoas em 2050

Portugal Terá Menos Um Milhão de Pessoas em 2050

Por LUSA
Segunda-feira, 23 de Fevereiro de 2004, Jornal Público 

 

A população portuguesa terá menos cerca de um milhão de pessoas em 2050 e estará ainda mais envelhecida, havendo perto de 2,5 idosos por cada jovem, segundo estimativas constantes de um relatório do Conselho da Europa. 

O último relatório anual do Conselho da Europa sobre a "Evolução demográfica recente na Europa" apresenta os dados demográficos mais recentes - até 1 de Janeiro de 2003 - dos seus 45 estados-membros e projecções de evolução até 2050.

No que respeita a Portugal, está estimado que a população comece a decrescer a partir de 2010, atingindo os 9.302.500 habitantes em 2050.

No entanto, o envelhecimento da população portuguesa vai continuar a aumentar, prevendo-se que, em 2025, haja 173 pessoas com mais de 65 anos para cada 100 com menos de 15, e que em 2050 haja 243 idosos para cada 100 jovens.

Actualmente, a proporção de pessoas com menos de 15 anos está a descer - de 15,9 por cento em 2001 para 15,8 por cento em 2002 -, e a proporção de pessoas com 65 ou mais anos (idosos) a aumentar - de 16,5 para 16,7 por cento nos mesmos períodos.

Assim, indica o relatório, o envelhecimento demográfico deve-se em primeiro lugar a um declínio no número de pessoas novas e em segundo lugar a um maior envelhecimento das pessoas idosas.

Em 2002, as pessoas com mais de 80 anos representavam 42,2 por cento do total de idosos, dos quais 18,3 por cento eram homens e 23,9 por cento eram mulheres (em 2001 eram 17,9 e 23,6 por cento, respectivamente).

Quanto ao número de pessoas em idade activa (15-64 anos), estabilizou nos últimos anos nos 68 por cento (67,5 por cento em 2002).

Em 2002, havia um idoso para quatro pessoas em idade activa e 48 dependentes (idosos e jovens) para cada 100 pessoas em idade activa.

De acordo com o mesmo relatório, e no que respeita ao total da população, no final de 2002 (1 de Janeiro de 2003) Portugal tinha estimadas 10.407.465 pessoas, das quais 5.030.247 homens e 5.377.218 mulheres.

O crescimento da população em 2002 foi de 0,75 por cento, mas deveu-se sobretudo ao balanço positivo da imigração (0,68 por cento), já que o crescimento natural se manteve baixo, nos 0,08 por cento.

O documento refere que, "nos anos recentes, a imigração tornou-se mais frequente, especialmente de países da Europa de Leste". "A migração tem um papel muito importante no crescimento da população em Portugal, tradicionalmente um país com rede de emigração: nos anos 90, a corrente de migração mudou de direcção e o país encara agora uma migração em excesso".

A população estrangeira residente em Portugal está a crescer substancialmente, sendo que em 2002 o número de imigrantes era 238.746 (mais 14.770 do que em 2001), o correspondente a 2,3 por cento do total da população. A distribuição dos imigrantes por sexos demonstra que existem em Portugal 125 homens para 100 mulheres.

Quanto à origem dos estrangeiros que vieram para Portugal em 2002, 47,8 por cento eram oriundos de África, mesmo assim ligeiramente menos do que os que chegaram no ano anterior (47,9 por cento).

O número de imigrantes de Cabo Verde decresceu de 22,2 por cento em 2001 para 21,9 por cento em 2002, enquanto a população vinda de Angola e Guiné-Bissau cresceu para 10,3 e oito por cento, respectivamente, durante o mesmo período.

A proporção de europeus residentes em Portugal subiu ligeiramente em 2002 para 30,2 por cento. A maioria veio do Reino Unido (6,7 por cento), Espanha (6,1 por cento) e Alemanha (cinco por cento). Os brasileiros residentes eram cerca de 10,4 por cento.

Nos anos 90, assistiu-se a um crescimento da imigração da Europa de Leste, especialmente da Ucrânia, Moldávia, Rússia e Roménia.

 

Notícia do Jornal Público, http://jornal.publico.pt/2004/02/23/Sociedade/S10.html


Nota: Para um conhecimento mais aprofundado do papel dos movimentos migratórios e dos imigrantes na análise demográfica, ver o estudo "Contributos dos Imigrantes na Demografia Portuguesa - o papel das populações de nacionalidade estrangeira"