Chamada para Comunicações e Posters: “Capacitar e Promover os Imigrantes na Turma”


Novo poster estatístico OM: Cidadania e Acesso à Nacionalidade

Posters Estatísticos


Cidadania e Acesso à Nacionalidade.pdf

Cidadania e Acesso à Nacionalidade.pdf (Версия 1.0)

Загружено пользователем Pedro Soares, 16.06.17 15:13
1 из 1
Комментарии
Пока нет комментариев. Будь первым.

nacion.png

Conferência: “Dia Mundial do Refugiado e Acesso à Justiça”

Debate: “The Training of Professionals and Researchers for the Integration of Migrants and Refugees“


"Beyond Martim Moniz: Portuguese Hindu Gujarati merchants in Lisbon"

Autor(es):
Rita Cachado

Publicação:
Etnográfica, 22 (1), 2017

Resumo:
Portuguese Hindus living in Greater Lisbon are globally considered as virtuous merchants and they hardly escape this stereotype, which is also appended to other South Asian populations living in Lisbon, regardless of its accuracy. Moreover, common sense features the location of these merchants’ shops circumscribed to Martim Moniz (near the downtown area). Nevertheless, Portuguese Hindu merchants, as well as other South Asian shopkeepers in Lisbon, have shops spread all over the city. In this article, I give a portrait of Portuguese Hindu merchants in Lisbon in a threefold way. One that unravels the different locations of their stores; another that approaches the diversity of their markets; and finally one that will draw on their view about the Portuguese economic crisis and its implications for their businesses. Until recently, Portuguese Hindus’ professional trajectories were associated with an upward social mobility. Presently, what are their perspectives made of? How does the economic crisis affect their businesses? Do they prefer to migrate again as their families did two or three times before?

Este artigo encontra-se aqui em acesso livre.


Curso de Verão: “Emigração e Remigração: Novas formas de mobilidade em Portugal”


Programa_emigração_remigração_2017.doc

Programa_emigração_remigração_2017.doc (Версия 1.0)

Загружено пользователем Pedro Soares, 14.06.17 16:57
Комментарии
Пока нет комментариев. Будь первым.

"Percepções dos Portugueses sobre os Imigrantes: Indispensabilidade, acção colectiva e distância social"

Autor(es):
Raquel António, Rita Guerra, Samuel L. Gaertner e Matthew Deegan

Publicação:
Análise Psicológica, 35 (1), 2017

Resumo:
O presente estudo analisa o impacto de diferentes formas de indispensabilidade grupal na acção colectiva e distância social de um grupo maioritário em relação a diferentes grupos de imigrantes. Mais especificamente, examinamos se a indispensabilidade percebida de diferentes grupos de imigrantes, para a identidade nacional e para o funcionamento da sociedade, (a) reduz a distância social e (b) aumenta o apoio a acções colectivas que beneficiam os imigrantes, (c) através da adopção de diferentes representações grupais (grupo-único, dupla-identidade). 172 Portugueses nativos preencheram um questionário com as medidas de interesse. Os resultados revelaram a mediação esperada. As percepções dos Portugueses acerca da indispensabilidade dos imigrantes estavam associadas a menor distância social e a uma maior participação em acções colectivas, através da adopção de representações identitárias mais inclusivas. Replicando estudos anteriores, estes efeitos positivos devem-se a diferentes tipos de indispensabilidade, para os diferentes grupos de imigrantes, dadas as diferenças nas suas relações históricas com a sociedade de acolhimento.

Este artigo encontra-se aqui em acesso livre.


“People's Movements in the 21st Century: Risks, Challenges and Benefits”


"Migration, Quality of Life And Health of Brazilian Immigrants in Portugal"

Autor(es):
Eliany Oliveira, Francisco Neto, Paulo de Almeida e Félix Neto

Publicação:
International Archives of Medicine, 10 (158), 2017

Resumo:
Background: Immigrants face many challenges when settling in a foreign country, numerous factors influence this immigrant experience including the resources they bring with them and those they find in the host society. The literature has indicated that a significant number of individuals migrate in search of a better quality of life. In this context, the objective of the study was to analyze the quality of life and health of Brazilian immigrants living in Portugal, using the "Medical Outcomes Study: 36-Item Short Form Survey" (SF-36).
Methods and Results: A cross-sectional study with a quantitative approach developed under the project titled: Health status and quality of life of Brazilian immigrants in Portugal conducted in the first half of 2016, with 682 Brazilian immigrant women over 18 living in Portugal. This study adopted as reference SF-36, a generic instrument for the evaluation of Quality of Life. It can be affirmed that the quality of life and health of Brazilian immigrants living in Portugal is good, since all dimensions presented values above 50%. It was evidenced that Brazilian immigrants who live alone have lower levels of quality of life and health than those who live with someone and, that Brazilian immigrants who are unemployed, have low levels of quality of life and health compared to those who are in another employment situation, and Brazilian immigrants entering the labor market with a workload of more than 40 hours per week present similar levels of quality of life and health compared to those who work fewer hours.
Conclusion: In general, one can affirm that the quality of life and health of Brazilian immigrants living in Portugal is good, but due to the particularities of the migration process in the current political and international context, a systematic monitoring of living conditions and health of this population is necessary.

Este artigo encontra-se aqui em acesso livre.


Simpósio: “Promoting Migrant Integration for a Powerful, Diverse and Multicultural Europe”


Chamada para comunicações: Programa 2017-2018 do Migration Working Group


Escola de Verão: “Globalizofobia: El miedo hacia los inmigrantes vistos como un “ejército a sueldo” de la globalización”


Quem são os novos cidadãos portugueses?

Quem são os novos cidadãos portugueses?

11 de junho de 2017
Célia Rodrigues e Francisco Lopes / Público

Desde 2006 que Portugal é reconhecido internacionalmente como um dos países com melhor enquadramento legal para a aquisição da nacionalidade. Entre os países da UE28 vem em segundo lugar no «rácio de aquisições de nacionalidade por total de residentes estrangeiros» a seguir à Suécia como o melhor país a acolher e a integrar imigrantes. Está em primeiro lugar na área da «nacionalidade», segundo o Índice Global de Avaliação das Políticas de Integração de Imigrantes (MIPEX 2015). As alterações legislativas para a concessão da nacionalidade feitas nas duas últimas décadas muito contribuíram para tal. As políticas e enquadramentos legais portuguesas têm sido consideradas inovadoras ao conciliar critérios de nascimento, descendência, residência, a opção voluntária para o pedido de nacionalidade e o papel que os imigrantes requerentes podem assumir para a demografia de um país naturalmente envelhecido. No ano de 1996 houve 3700 concessões de nacionalidade portuguesa mas em 2016 esse número ascendeu a 50.793 de acordo com o Caderno Estatístico publicado esta semana pelo Observatório da Migrações.

A cada hora há cinco estrangeiros que se tornam portugueses

A cada hora há cinco estrangeiros que se tornam portugueses

7 de junho de 2017
Mafalda Ganhão & Raquel Moleiro / Expresso

O número de estrangeiros que passou a ter nacionalidade portuguesa aumentou consideravelmente desde as alterações legislativas introduzidas em 2006, o que se traduziu em cerca de 402 mil “novos” cidadãos portugueses no espaço de dez anos - entre 2007 e 2016. Contas feitas, dá uma média por hora a rondar os cinco pedidos aceites (mais precisamente 4,6). A conclusão resulta do levantamento estatístico reunido no “Acesso à Nacionalidade portuguesa: 10 anos da lei em números”, estudo do Observatório das Migrações apresentado esta terça-feira e coordenado por Cristina Reis Oliveira.

Portugal ganhou quase meio milhão de novos portugueses em dez anos

Portugal ganhou quase meio milhão de novos portugueses em dez anos

6 de junho de 2017
Redação / TVI24

Desde 2007 Portugal ganhou quase meio milhão de novos portugueses. O número de pedidos foi sete vezes superior à década anterior. Brasileiros, cabo-verdianos e ucranianos lideram pedidos de nacionalidade.


Portugal ganha 40 mil novos cidadãos por ano, maioria de países onde se fala português

Portugal ganha 40 mil novos cidadãos por ano, maioria de países onde se fala português

6 de junho de 2017
Joana Gorjão Henriques / Público

Entre 2007 e 2016, Portugal ganhou 401.669 portugueses, uma média de 40 mil por ano, mostra um estudo do Observatório das Migrações divulgado nesta terça-feira. Destes "novos cidadãos", a maioria tem origem em países onde se fala a língua portuguesa: representaram mais de 74% do bolo total de concessões de nacionalidade em 2008 e quase 64% em 2016, não ficando nunca abaixo dos 57%.