2. Bibliografia sobre estrangeiros e sistema de justiça

Imagem em Destaque
2. Bibliografia sobre estrangeiros e sistema de justiça

A bibliografia que se segue, sem pretensão de exaustividade, ilustra bem como o tema da relação dos estrangeiros com o sistema de justiça tem sido analisado em Portugal e internacionalmente. Se conhecer outras referências relevantes, por favor não deixe de partilhá-las connosco através do email om@acm.gov.pt.

Artigos, capítulos de livros e working papers

ALBRECHT, H. J. (1997), “Ethnic minorities, crime, and criminal justice in Germany”, em TONRY, M. (ed.), Ethnicity, Crime, and Immigration. Comparative and Cross-National Perspectives. Crime and Justice. A Revier of Research, 21. Chicago e Londres: University of Chicago Press, pp. 31-99.

ALBRECHT, H. J. (2002), “Ethnic minorities: crime and criminal justice in Europe”, em FARRELL, M.; E HEIDENSOHN, F. (eds.), Crime in Europe. Londres: Routledge, pp. 98-114.

BAGANHA, M. I. (1996), “Migration and criminality” in Immigrant Insertion in the Informal Economy: The Portuguese Case. First Report. Coimbra: CES – Universidade de Coimbra (policopiado).

BERSANI, B. E. (2014), “An examination of first and second generation immigrant offending trajectories”, Justice Quarterly, 31(2), pp. 315-343.

CALAVITA, K. (2003), “A ‘Reserve Army of Delinquents’: The Criminalization and Economic Punishment of Immigrants in Spain”, Punishment & Society, 5(4), pp. 399-413.

CALAVITA, K. (2005), Immigrants at the Margins: Law, Race, and Exclusion in Southern Europe. Cambridge: Cambridge University Press.

CUNHA, M. I. (2010), “Race, crime and criminal justice in Portugal”, em KALUNTA-CRUMPTON, A. (ed.), Race, Crime and Criminal Justice. Londres: Palgrave Macmillan, pp. 144-161.

CUNHA, M. I. P. D. (2014), “Categorias de diferença, crime e reclusão: glossários, estatísticas e experiências. Género, nacionalidade e reclusão: olhares cruzados sobre migrações e reclusão feminina em Portugal”, em MATOS, R. (coord.), Género, Racionalidade e Reclusão. Olhares Cruzados sobre Migrações e Reclusão Feminina em Portugal. Porto: Universidade Católica Editora, pp. 161-180.

DUARTE, V.; e GOMES, S. (2015), “A (des)construção de uma história única: Cruzando crime, género, classe social, etnia e nacionalidade”. Psiquiatria, Psicologia & Justiça, 8, pp. 139-164.

ENGBERSEN, G.; e VAN DER LEUN, J. (2001). “The social construction of illegality and criminality”, European Journal on Criminal Policy and Research, 9(1), 51-70.

ESTEVES, A.; e MALHEIROS, J. (1999), “Os cidadãos estrangeiros nas prisões portuguesas: ‘Sobre-representação’ ou ilusão?”, Inforgeo, 14, , pp. 77-102.

ESTEVES, A.; e MALHEIROS, J. (2001), “Os cidadãos estrangeiros nas prisões portuguesas”, in PINHEIRO, M.; BATISTA, L. V.; e VAZ, M. J. (orgs.), Cidade e Metrópole. Centralidades e Marginalidades. Oeiras: Celta, pp. 95-114.

GOMES, S. (2011), Crime na Imprensa: Representações sobre Imigrantes e Ciganos em Portugal, CICS Working Paper 1.

GOMES, S. (2013), “A construção do pânico moral sobre os ciganos e os imigrantes na imprensa diária portuguesa”, Latitude, 7(2), pp. 187-217.

GOMES, S. (2017), “Access to Law and Justice perceived by Foreign and Roma Prisoners”, Race and Justice, https://doi.org/10.1177/2153368717699972.

GOMES, S. (2018), “How Do Foreign Women End Up in Prison? An Intersectional Approach of Criminal Pathways”, in Female Crime and Delinquency in Portugal: In and Out of the Criminal Justice System. Londres: Palgrave Macmillan, pp. 75-104.

GOMES, S.; MACHADO, H.; e SILVA, M. C. (2012), “Grupos étnicos e estrangeiros em contexto prisional: Representações de guardas prisionais e elementos da direcção”, em Atas do VII Congresso Português de Sociologia, Lisboa: APS. ISBN: 978-989-97981-0-6. Disponível em http://historico.aps.pt/vii_congresso/?area=016&lg=pt. Acesso em: 11 jan 2019.

GUIA, M. J. (2010), “Imigrantes e Criminalidade Violenta em Portugal: Que relação?”, Cabo dos Trabalhos, 4, https://cabodostrabalhos.ces.uc.pt/n4/ensaios.php

GUIA, M. J. (2012), “Crimigración securitización y la criminalización de los migrantes en el sistema penal”, Anuario da Facultade de Dereito da Universidade da Coruña, 16, pp. 591-613.

GUIA, M. J. (2012), “Crimmigration, securitisation and the criminal law of the crimmigrant”, em GUIA, M. J.; VAN DER WOUDE, M.; e VAN DER LEUN, J. (eds.), Social Control and Justice: Crimmigration in the Age of Fear. Haia: Eleven International Publishing, pp. 17-40.

GUIA, M. J. (2012), “Imigração, Crime e Crimigração: Alteridades e Paradoxos”, comunicação apresentada ao VII Congresso Português de Sociologia, realizado entre 19 e 22 de junho na cidade do Porto. Disponível em https://www.ces.uc.pt/myces/UserFiles/livros/1097_APS2012_MariaJoaoGuia_1139_.pdf. Acesso em: 11 jan 2019.

GUIA, M. J., e PEDROSO, J. (2015), “Imigração e crime violento: um olhar a partir de reclusos condenados”, Configurações. Revista de Sociologia, 16, pp. 25-40.

GUIA, M. J., e PEDROSO, J. (2016), “Institutional Perceptions of Internal Security on the Relationship between “Sensitive Urban Zones” and Immigrant Criminality”, Laws, 5(2), 16, https://dx.doi.org/10.3390/laws5020016

MARTENS, P. L. (1997), “Immigrants, crime, and criminal justice in Sweden”, Crime and Justice, 21, pp. 183-255.

MATOS, R. (2014), “Introdução”, em Género, Racionalidade e Reclusão. Olhares Cruzados sobre Migrações e Reclusão Feminina em Portugal. Porto: Universidade Católica Editora, pp. 13-16.

MATOS, R. (2016), “Trajectories and identities of foreign national women: Rethinking prison through the lens of gender and citizenship”, Criminology & Criminal Justice, 16(3), pp. 350-365.

MATOS, R.; BARBOSA, M., SALGUEIRA, G.; e MACHADO, C. (2013), “Cidadãos estrangeiros em Portugal: Migrações, Crime e Reclusão”, Psicologia, 27(1), pp. 33-45.

MATOS, R.; CUNHA, M. I. P. D.; CARVALHO, P. M.; TAVARES, R.; e PEREIRA, L. D. M. (2017), “Women in prison in Portugal”, em VAN KEMPEN, P. H.; e KRABBE, M. (eds.), Women in Prison: the Bangkok Rules and Beyond. Cambridge e Auérpia: Intersentia, pp. 613-644.

MATOS, R.; e BARBOSA, M. (2015), “Mulheres de nacionalidade estrangeira detidas em Portugal. Breve caracterização de trajetos de vida e envolvimento no crime”, em GOMES, S; e GRANJA, R. (orgs.), Mulheres e Crime: Perspetivas sobre Intervenção, Violência e Reclusão. Famalicão: Editora Húmus, pp. 67-83.

MELOSSI, D. (2003), “In a Peaceful Life' Migration and the Crime of Modernity in Europe/Italy”, Punishment & Society, 5(4), pp. 371-397.

MELOSSI, D.; DE GIORGI, A.; e MASSA, E. (2009), “The ‘normality’ of ‘second generations’ in Italy and the importance of legal status: a self-report delinquency study”, em MCDONALD W. (ed), Immigration, Crime and Justice. New York: Emerald, pp. 47–65.

MILES, T. J.; e COX, A. B. (2014), “Does Immigration Enforcement Reduce Crime? Evidence from Secure Communities”, The Journal of Law and Economics, 57(4), pp. 937-973.

MOREIRA, J. J. S. (2014), “Aritmética breve em torno dos reclusos estrangeiros”, in MATOS, R. (coord.), Género, Racionalidade e Reclusão. Olhares Cruzados sobre Migrações e Reclusão Feminina em Portugal. Porto: Universidade Católica Editora.

MULGREW, R. (2016), “Foreign prisoners in Europe: an analysis of the 2012 Council of Europe Recommendation and its implications for international penal policy”, The Review of International Law and Politics, 12(44), 161.

OLIVEIRA, C. R. e GOMES, N. (2018), “Estrangeiros e o sistema de justiça”, in OLIVEIRA, C. R, (coord.) e GOMES, N., Indicadores de Integração de Imigrantes. Relatório Estatístico Anual 2018, Coleção Imigração em Números do Observatório das Migrações, Lisboa: ACM, pp. 267-275.

OUSEY, G. C., e KUBRIN, C. E. (2018), “Immigration and crime: Assessing a contentious issue”, Annual Review of Criminology, 1, pp. 63-84.

PAULINO, M., CONDUTO, A. L.; e PIRES, D. (2014), “A reclusão de cidadãos brasileiros em Portugal: Impacto na sociedade, cumprimento da pena e reinserção”, Perspectivas em Psicologia, 18(1), pp. 175-193.

PENDERGAST, P. M.; WADSWORTH, T.; e LEPREE, J. (2018), “Immigration, Crime, and Victimization in the US Context: An Overview”, em MARTÍNEZ, R.; HOLLIS, M. E.; e STOWELL, J. I. (eds.), The Handbook of Race, Ethnicity, Crime, and Justice. Hoboken (NK) e Oxford (UK): Wiley, pp. 65-85.

RESENDE, C. (2008), “Raça, Racismo e Etnicidade: Conceitos pouco visíveis num contexto pouco visível”, em VI Congresso Português de Sociologia – Mundos Sociais: Saberes e Práticas. Lisboa: APS. ISBN: 978-972-95945-4-0. Disponível em http://historico.aps.pt/vicongresso/pdfs/470.pdf. Acesso em: 08 fev 2019.

RESENDE, C. (2017), “A plasticidade dos usos do crioulo em contexto prisional”, Configurações. Revista de sociologia, 20, pp. 75-92.

SANTOS, F. D. (2006), “The imprisoned youth: from exclusion to seclusion. An overview of the Caxias Youth Re-education Center, Portugal”, Studi Emigrazione, 163, pp. 587-600.

SEABRA, H. M. (1999), Desviantes ou Desviados? Abordagem exploratória da participação dos imigrantes em práticas criminais, SociNova Working Paper 8. Lisboa: SociNova.

SEABRA, H. M. (2003), “Juvenile delinquency and immigration in Portugal: a case study”, em Dores, A. P. (org.), Prisões na Europa. Um Debate que Apenas Começa. Oeiras: Celta, pp. 169-181.

SEABRA, H. M. (2004), “Criminalidade de estrangeiros julgada em Portugal”, Janus 2004, Anuário de Relações Exteriores, Lisboa, Público e Universidade Autónoma de Lisboa, pp. 204-205.

SMITH, D. J. (1997), “Ethnic origins, crime, and criminal justice in England and Wales”, Crime and Justice, 21, pp. 101-182.

TONRY, M. (1997), "Introduction", em TONRY, M. (ed.), Ethnicity, Crime, and Immigration. Comparative and Cross-National Perspectives. Crime and Justice. A Revier of Research, 21. Chicago e Londres: University of Chicago Press, pp. 1-29.

WACQUANT, L. (1999), “’Suitable Enemies’: Foreigners and Immigrants in the prisons of Europe”, Punishment & Society, 1(2), pp. 215-222.

WADSWORTH, T. (2010), “Is immigration responsible for the crime drop? An assessment of the influence of immigration on changes in violent crime between 1990 and 2000”, Social Science Quarterly, 91(2), pp. 531-553.

ZATZ, M. S., e SMITH, H. (2012), “Immigration, crime, and victimization: Rhetoric and reality”, Annual Review of Law and Social Science, 8, pp. 141-159.

 

Livros e teses

AMORIM, S. A. V. A. V. (2011), Estrangeiros e Criminalidade em Portugal: O Papel da Nacionalidade na Decisão Judicial. Braga: Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho (tese de doutoramento).

AREOSA, T. M. A. (2014). Qualidade de Vida nas Prisões: Estudo Comparativo entre Reclusos Nacionais e Estrangeiros. Porto: Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica Portuguesa (tese de doutoramento).

CARVALHO, M. J. L. (2003), Entre as Malhas do Desvio. Jovens, Espaços, Trajectórias e Delinquências. Oeiras: Celta.

CARVALHO, M. J. L. (2010), Do Outro Lado da Cidade. Crianças, Socialização e Delinquência em Bairros de Realojamento. Lisboa: FCSH-UNL (tese de doutoramento).

DAMAS, A. G. (2004), Comunidades Migrantes, Criminalidade e Integração Social – Estudo de Caso do Programa de Policiamento de Proximidade no Bairro “Urbanização dos Terraços da Ponte”. Lisboa: Universidade Aberta.

FONSECA, G. (2010), Percursos Estrangeiros no Sistema de Justiça Penal, volume 43 da Coleção de Estudos do Observatório da Imigração, Lisboa: ACIDI.

GOMES, O. J. C. D. (2012), Prisão com fronteiras: Relações interétnicas em meio prisional. Estudo de caso no Estabelecimento Prisional da Carregueira. Lisboa: FCSH-UNL (dissertação de mestrado).

GOMES, S. (2013), Criminalidade, Etnicidade e Desigualdades. O Crime nos Reclusos dos PALOP, Leste Europeu e de Etnia Cigana e as Percepções dos Guardas Prisionais e dos Elementos da Direcção acerca Deles. Braga: Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho.

GOMES, S. (2014), Caminhos para a Prisão – uma análise do fenómeno da criminalidade associada a grupos estrangeiros e étnicos em Portugal. Famalicão: Editora Húmus.

GUIA, M. J. (2008), Imigração e Criminalidade – Caleidoscópio de Imigrantes Reclusos. Coimbra: Almedina.

GUIA, M. J.; VAN DER WOUDE, M.; e VAN DER LEUN, J. (eds.) (2012), Social Control and Justice: Crimmigration in the Age of Fear. Haia: Eleven International Publishing.

JUNGER, M. (1990), Delinquency and Ethnicity: An Investigation on Social Factors relating to Delinquency among Moroccan, Turkish, Surinamese and Dutch Boys. Deventer (NL): Kluwer Law and Taxation Publishers.

MARSHALL, I. H. (ed.) (1997), Minorities, Migrants, and Crime: Diversity and Similarity Across Europe and the United States. Thousand Oaks, Londres, Nova Deli: Sage.

MARTINS, P. M. D. P. D. (2015), Mulheres imigrantes cabo-verdianas nas prisões portuguesas (des) integração, reclusão e projectos de vida . Lisboa Universidade Aberta (tese de doutoramento).

MATOS, R. (coord.) (2014), Género, Racionalidade e Reclusão. Olhares Cruzados sobre Migrações e Reclusão Feminina em Portugal. Porto: Universidade Católica Editora.

MOREIRA, T. M. T. (2011), Lei e Prisão: Discursos de Mulheres Estrangeiras sobre o Sistema Jurídico-penal Português. Braga: Escola de Psicologia da Universidade do Minho (tese de doutoramento).

PEIXOTO, A. C. (2008), Imigrantes em Portugal: Que Propensão Criminal?. Ponta Delgada: Edições Macaronésia.

REBELO, S. T. C. S. (2015), Percursos de Exclusão de Mulheres de Nacionalidade Estrangeira nos Sistemas de Justiça Penal e de Controlo das Migrações. Porto: Universidade Católica Portuguesa (dissertação de mestrado).

ROCHA, J. L. M.; e AGRA, C. (2001), Reclusos Estrangeiros – Um Estudo Exploratório. Coimbra: Almedina.

RODRIGUES, C. C. M. (2013), Percursos Migratórios de Reclusas de Nacionalidade Estrangeira. Porto: Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica Portuguesa (tese de doutoramento).

RUMBAUT, R.; e EWING, W. (2007), The Myth of Immigrant Criminality and the Paradox of Assimilation: Incarceration Rates among Native and Foreign-Born Men. Washington, DC: American Immigration Law Foundation.

SEABRA, H. M. (2005), Delinquência a Preto e Branco. Estudos de Jovens em Reinserção, volume 1 da Coleção Teses do Observatório da Imigração. Lisboa: ACIME.

SEABRA, H. M.; e SANTOS, T. (2005), A criminalidade de estrangeiros em Portugal: um inquérito científico, volume 13 da Coleção de Estudos do Observatório da Imigração, Lisboa: ACIME.

SEABRA, H. M.; e SANTOS, T. (2006), Reclusos Estrangeiros em Portugal – Esteios de uma Problematização, volume 20 da Coleção de Estudos do Observatório da Imigração, Lisboa: ACIME.

WATERS, T. (1999), Crime and Immigrant Youth. Thousand Oaks, Londres, Nova Deli: Sage.

 

Relatórios internacionais

AEBI, M. F.; BERGER-KOLOPP. L.; BURKHARDT, C.; CHOPIN, J.; HASHIMOTO, Y. Z.; e TIAGO, M. M. (2018), Foreign offenders in prison and probation in Europe. Trends from 2005 to 2015 (inmates) and situation in 2015 (inmates and probationers). Estrasburgo: Conselho da Europa.