3. Referências bibliográficas, nacionais e internacionais, sobre descendentes de imigrantes

Imagem em Destaque
3. Referências bibliográficas, nacionais e internacionais, sobre descendentes de imigrantes

A bibliografia que se segue ilustra, sem pretensão de exaustividade, como os temas associados a imigração, jovens e descendentes têm sido analisados. Se conhecer outras referências relevantes, por favor não deixe de partilhá-las connosco através do email om@acm.gov.pt.

 

Artigos, capítulos de livros, comunicações e working papers

ALBUQUERQUE, R. (2000), “Political participation of Luso-African youth in Portugal”, Papers: Revista de Sociologia, 60, pp. 167-182

CARVALHO, F. A. (2008), “Filhos de imigrantes Caboverdeanos em Portugal: a questão identitária”, Travessias – Revista de Ciências Sociais e Humanas, n.º 9, pp. 133-156.

CONTADOR, A. C. (1998), “Consciência de geração e etnicidade: da segunda geração aos novos luso-africanos”, Sociologia – Problemas e Práticas, 26, pp. 57-83.

GASPAR, S. (2018), “Percursos Migratórios e Trajetórias de Vida de Descendentes de Imigrantes Chineses”, Sociologia, Problemas e Práticas, 87, pp. 109-127.

HORTAS, M. J. (2008), “Territories of integration: the children of immigrants in the schools of the Metropolitan Area of Lisbon”, Intercultural Education19(5), pp. 421-433.

JUSTINO, D., et al. (1998), “Children of Immigrants. A Situation in Flux between Tension and Integration”, in VICENTE, P. (coord.) Metropolis International Workshop Proceedings, Lisbon, September 28-29, 1998. Lisboa: FLAD, pp. 273-304.

MACHADO, F. L. (1994), “Luso-africanos em Portugal: nas margens da etnicidade”, Sociologia – Problemas e Práticas, 16, pp. 111-134.

MACHADO, F. L. (2006), “Novos portugueses? Parâmetros sociais da identidade nacional dos jovens descendentes de imigrantes africanos”, in MIRANDA, J. & JOÃO, M. I. (eds.), Identidades nacionais em debate. Oeiras: Celta, pp. 19-46.

MACHADO, F. L. (2007a), “Youngsters like any others? Integration processes and scenarios for the children of African immigrants in Portugal”, in VITORINO, A. (ed.), Immigration: Opportunity or Threat, Estoril: Princípia, pp. 159-186.

MACHADO, F. L. (2007b), “Jovens como os outros? Processos e cenários de integração dos filhos de imigrantes africanos em Portugal”, in VITORINO, A. (ed.), Imigração: Oportunidade ou Ameaça?, Estoril: Princípia, pp. 169-197.

MACHADO, F. L. (2008a), “Filhos de imigrantes africanos no mercado de trabalho: acessos, perfis e trajetos”,  Migrações: Revista do Observatório da Imigração, 2, pp. 121-158.

MACHADO, F. L. (2008b), “Processos de integração social e simbólica dos filhos de imigrantes africanos em Portugal”, in VIEIRA, R., MARGARIDO, C. E MENDES, M. (orgs.), Diferenças, Desigualdades, Inclusões, Exclusões. Porto: Afrontamento, pp. 43-60.

MACHADO, F. L. (2009), “Quarenta anos de imigração africana – um balanço”, Ler História, 56, pp. 135-165.

MACHADO, F. L., e MATIAS, A. R. (2006), “Jovens descendentes de imigrantes nas sociedades de acolhimento: linhas de identificação sociológica”, CIES e-WORKING PAPER N° 13/2006.

MACHADO, F. L., MATIAS, A. R., e LEAL, S. (2005), “Desigualdades sociais e diferenças culturais: os resultados escolares dos filhos de imigrantes africanos”, Análise Social40(176) pp. 695-714.

MARQUES, M. M., ROSA, M. J. V., e MARTINS, J. L. (2007), “School and diversity in a weak state: the Portuguese case”, Journal of Ethnic and Migration Studies33(7), pp. 1145-1168.

MATEUS, S., e SEABRA, T. (2016), Políticas de Integração dos Descendentes de Imigrantes na Sociedade Portuguesa (1976-2015), comunicação apresentada ao IX Congresso da Associação Portuguesa de Sociologia. Faro: Universidade do Algarve.

MOOD, C., JONSSON, J. O., e LÅFTMAN, S. B. (2016), “Immigrant Integration and Youth Mental Health in Four European Countries”, European Sociological Review32(6), , pp. 716-729.

NUNES, C., et al. (2016), “Quality of life of Portuguese and Spanish adolescents. A comparative study between natives and immigrants”, Ciência & Saúde Coletiva21(4), pp. 1137-1144.

ORTIZ, A. (2013) “Identidades, pertenças e afinidades dos jovens descendentes de imigrantes africanos na Área Metropolitana de Lisboa”, Migrações: Revista do Observatório da Imigração, 11, pp. 157-184.

PADILLA, B., e ORTIZ, A. (2014), “Construção das identidades de jovens de origem imigrante em Europa: resultados dum projeto europeu”, REMHU: Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana22(42), pp. 133-158.

PORTES, A. (1995), “Children of immigrants: segmented assimilation and its determinants”, in PORTES, A. (ed.), The Economic Sociology of Migration. New York: Russel Sage Foundation, pp. 248-280.

PORTES, A., e ZHOU, M. (1993), “The New Second Generation: Segmented Assimilation and Its Variants”,  Annals of the American Academy of Political and Social Science530(1), pp. 74-96.

RIBEIRO, N., NEVES, T., e MENEZES, I. (2016), “Participação cívica e política de jovens imigrantes e portugueses”, Análise SocialLI(4.º) (n.º 221), pp. 822-849.

ROLDÃO, C., et al. (2016), Afrodescendentes e Oportunidades de Acesso ao Ensino Superior, comunicação apresentada ao IX Congresso da Associação Portuguesa de Sociologia. Faro: Universidade do Algarve.

SEABRA, T. e MATEUS, S. (2010), “Trajectórias Escolares, Propriedades Sociais e Origens Nacionais: descendentes de imigrantes no ensino básico português”, Sociologia: Revista do Departamento de Sociologia da FLUP, Vol.XX, pp. 411-424.

SEABRA, T., e MATEUS, S. (2012), “Trajectórias Escolares, Propriedades Sociais e Origens Nacionais: descendentes de imigrantes no ensino básico português”, in DAYRELL, J., et al. (orgs.), Família, Escola e Juventude: Olhares Cruzados Brasil-Portugal. Minas Gerais: Editora UFMG.

THOMASSEN, B. (2010), “‘Second Generation Immigrants’ or ‘Italians with Immigrant Parents’? Italian and European Perspectives on Immigrants and their Children”, Bulletin of Italian Politics, 2(1), pp. 21-44.

VALA, J., e KHAN, S. (1999), “Traços negros (aculturação e identidades dos jovens de origem africana)”, in PAIS, J. M. (ed.), Traços e Riscos de Vida. Porto: Âmbar, pp. 143-169.

VASCONCELOS, J. (2012), “Africanos e Afrodescendentes no Portugal Contemporâneo: Redefinindo práticas, projetos e identidades”, Cadernos de Estudos Africanos, 24, pp. 15-23.

 

Livros, monografias e relatórios

AGÊNCIA DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DA UNIÃO EUROPEIA (2017), Together in the EU - Promoting the Participation of Migrants and their Descendants. Luxemburgo: Serviço das Publicações da União Europeia.

CERDEIRA, M. (coord.) (2013), Percursos Laborais e de Vida dos Jovens Imigrantes e Descendentes de Imigrantes nos Novos Setores de Serviços, Estudo 52 do Observatório da Imigração, Lisboa: ACIDI, I.P.

CONTADOR, A. C. (2001), Cultura Juvenil Negra em Portugal. Oeiras: Celta.

CRUL, M., SCHNEIDER, J., e LELIE, F. (eds.) (2012), The European Second Generation Compared: Does the Integration Context Matter? Amsterdão: Amsterdam University Press.

CRUL, M., SCHNEIDER, J., e LELIE, F. (2013), Super-diversity. A New Perspective on Integration. Amsterdão: VU University Press.

EUROSTAT (2017), First and Second-generation Immigrants – a Statistical Overview. Luxemburgo: Eurostat.

GRASSI, M. (2009), Capital Social e Jovens Originários dos PALOP em Portugal. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais.

HEALY, C. (2011), Cidadania Portuguesa: A nova Lei da Nacionalidade de 2006, Estudo 45 do Observatório da Imigração, Lisboa: ACIDI, I.P.

HORTAS, M. J. (2013). Educação e Imigração: a integração dos alunos imigrantes nas escolas do ensino básico do centro histórico de Lisboa, Estudo 50 do Observatório da Imigração, Lisboa: ACIDI, I.P.

MARQUES, M. M. (coord.) (2005), Jovens, Migrantes e a Sociedade da Informação e do Conhecimento. A Escola perante a Diversidade, Estudo 16 do Observatório da Imigração, Lisboa: ACIME.

PORTES, A. (ed.) (1996), The New Second  Generation. New York: Russell  Sage Foundation.

PORTES, A., e RUMBAUT, R., G. (2001), Legacies: The Story of Immigrant Second Generation. Berkeley: University of California Press.

POSSIDÓNIO, D. (2006), Descendentes de Angolanos e de Luso-angolanos na Área Metropolitana de Lisboa: Inserção Geográfica e Social. Volume 7 da Coleção Teses do Observatório das Migrações. Lisboa: ACIME.

ROSALES, M., DE JESUS, V. C., e PARRA, S. (2009), Crescer fora de água? – Expressividades, posicionamentos e negociações identitárias de jovens de origem africana na região metropolitana de Lisboa. Volume 37 da Coleção de Estudos do Observatório das Migrações. Lisboa: ACIDI.

RUMBAUT, R., e PORTES, A. (eds.) (2001), Ethnicities. Children of Immigrants in America. Berkeley e Los Angeles: University of California Press.

SEABRA, T. (coord.) (2007), “Etnicidade, trajectórias escolares e orientações profissionais: jovens descendentes de imigrantes no finalizar da escolaridade obrigatória”. Lisboa: CIES-ISCTE.

SEABRA, T., et al. (2011), Trajetos e Projetos de Jovens Descendentes de Imigrantes à Saída da Escolaridade Básica, Estudo 47 do Observatório da Imigração, Lisboa: ACIDI, I.P.

SEABRA, T., et al. (2016). Caminhos escolares de jovens africanos (PALOP) que acedem ao ensino superior, Estudo 57 do Observatório da Imigração. Lisboa: ACM.

SUDAN, D. (2002), Construction Identitaire chez les Jeunes Afro-Portugais à Lisbonne. De l'Autre Côté de la Cité. Paris: L'Harmattan.

VALA, J., et al. (2003), Simetrias e Identidades. Jovens Negros em Portugal. Oeiras: Celta.

 

Teses e dissertações

ALBUQUERQUE, R. (2008), Associativismo, Capital Social e Mobilidade: Contributos para o Estudo da Participação Associativa de Descendentes de Imigrantes Africanos Lusófonos em Portugal. Lisboa: Universidade Aberta (tese de doutoramento).

CARDOSO, S. M. C. F. (2008), O Dualismo Cultural: os Luso-caboverdianos entre a Escola a Família e a Comunidade (estudo de caso). Braga: Universidade do Minho (tese de doutoramento).

DOMINGOS, C. A. A. (2015), Cor e Educação e na Construção do Futuro dos Jovens de Origens Africanas em Portugal. Lisboa: ISCTE (dissertação de mestrado).

FATI, D. L. (2017), Trajectórias Familiares e Vivências Escolares: Projectos de Vida e Processos Identitários nos Descendentes de Imigrantes Guineenses na Escola Secundária de Odivelas. Lisboa: ISCSP (dissertação de mestrado).

FORTE, J. C. R. P. (2017), Jovens Imigrantes Africanos Moçambicanos em Portugal: Portugal, Sociedade de Acolhimento ou de Exclusão? Consequências. Lisboa: ISCTE (dissertação de mestrado).

GOMES, S. C. M. (2014), Futuros Convergentes? Processos, Dinâmicas e Perfis de Construção das Orientações Escolares e Profissionais de Jovens Descendentes de Imigrantes em Portugal. Lisboa: ISCTE (tese de doutoramento).

GRAÇA, E. L. (2013), Um Olhar Positivo sobre a Inserção de Jovens Imigrantes no Tecido Social e Escolar Português: o Caso dos Filhos da Segunda Geração de Imigrantes Cabo-verdianos. Lisboa: ISCTE (dissertação de mestrado).

LINARES, R. M. P. (2011), Desempenho escolar de alunos de origem imigrante: os jovens da Europa de Leste, em duas escolas da região de Lisboa. Lisboa: IGOT (dissertação de mestrado).

MANUEL, H. I. B. (2017), Promoção da Saúde Sexual e Reprodutiva: uma Intervenção de Enfermagem Comunitária com Jovens Descendentes de Imigrantes dos PALOP na Outurela/Portela. Lisboa: Escola Superior de Enfermagem de Lisboa (dissertação de mestrado).

MARINHO, M. O. M. N. (2013),                Prática Desportiva, Bem-estar Subjetivo e Integração Social de Jovens Imigrantes em Portugal. Porto: Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (tese de doutoramento).

PEREIRA, S. B. R. C. (2017), Vidas que se Contam - Os Impactos da experiência EFA nas Trajetórias de Vida de Imigrantes e de Descendentes de Imigrantes. Lisboa: ISCTE (tese de doutoramento).

RIBEIRO, N. S. (2014),    Educação e Cidadania de Jovens Imigrantes: Constrangimentos e Possibilidades de Participação Cívica e Política. Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto (tese de doutoramento).

SANTOS, M. D. M. (2014), Usos e Consumos da Mídia por Jovens Imigrantes Brasileiros em Portugal: um Estudo Exploratório. Lisboa: FCSH-UNL (tese de doutoramento).

SEABRA, T. (2008), Desempenho escolar, desigualdades sociais e etnicidade: os descendentes de imigrantes indianos e cabo-verdianos no ensino básico em Portugal. Lisboa: ISCTE (tese de doutoramento).

SILVA, D. F. S. (2016), Trabalho Educativo com Jovens Descendentes de Imigrantes e de Minorias Étnicas: Competências Profissionais, Estratégias e Políticas de Capacitação. Porto: Universidade do Porto (dissertação de mestrado).

TORRES, J. C. M. (2014), Violência e Representações Sociais de Género: Discursos de Jovens Imigrantes Cabo-verdianos. Maia: ISMAI (dissertação de mestrado).

VAZ, J. E. R. (2017), Sucesso/Insucesso Escolar nos Jovens Imigrantes e Descendentes de imigrantes Caboverdianos no 3.º Ciclo do Ensino Básico no Vale da Amoreira. Um Estudo de Caso de Quatro Alunos. Lisboa: ISCTE (dissertação de mestrado).

ZHAO, N. (2017), O Ensino PLNM no Ensino Básico a Alunos Chineses Recém-chegados a Portugal: Um Estudo de Caso. Lisboa: Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (dissertação de mestrado).