3. Referências bibliográficas, nacionais e internacionais, sobre imigração e línguas

Imagem em Destaque
3. Referências bibliográficas, nacionais e internacionais, sobre imigração e línguas

A bibliografia que se segue ilustra, sem pretensão de exaustividade, como os temas associados à imigração e línguas têm sido analisados. Se conhecer outras referências relevantes, por favor não deixe de partilhá-las connosco através do email om@acm.gov.pt.

 

Artigos, capítulos de livros, comunicações e working papers

ANÇÃ, M. H. (1991), “Língua materna e ensino”, Noesis, 21, pp. 59-60.

ANÇÃ, M. H. (1999), “Português: da língua materna à língua segunda: conceitos e pressupostos”, Noesis, 51, pp. 14-16.

ANÇÂ, M. H. (2008), “Língua portuguesa em novos públicos”, Saber (e) Educar, 13, pp. 71-87.

ANÇÃ, M. H. (2013), “Língua portuguesa: percursos, aprendizagem e integração – na voz de três estrangeiras em Portugal”, in GALVÃO, V. et al. (org), Anais do IV Simpósio Mundial de Estudos sobre o Português (SIMELP). Língua portuguesa: ultrapassando fronteiras, unindo culturas, Simpósio 25. Goiânia Faculdade de Letras, UFG, pp. 1192-1198.

BARON, L. F., NEILS, M., e GOMEZ, R. (2013), “Crossing new borders: computers, mobile phones, transportation, and English language among Hispanic day laborers in Seattle, Washington”, Journal of the Association for Information Science and Technology, 65(1), pp. 98-108.

BATORÉO, H. J. (2008), “Espaço(s) de diversidade linguística e a integração do outro na escola portuguesa do século XXI”, in Formas e Espaços de Sociabilidade. Contributos para uma História da Cultura em Portugal, CD-ROM, Lisboa: Universidade Aberta. Edição em CD-ROM, pp. 1-8. (download).

BIZARRO, R., e BRAGA, F. (2004), “Educação intercultural, competência plurilingue e competência pluricultural: novos desafios para a formação de professores de Línguas Estrangeiras”, in: SECÇÃO DE ESTUDOS FRANCESES DO DEPARTAMENTO DE ESTUDOS PORTUGUESES E DE ESTUDOS ROMÂNICOS (org.), Estudos em Homenagem ao Professor Doutor António Ferreira de Brito. Porto: Faculdade de Letras da Universidade do Porto, p. 57-69.

BRANCO, I. (2012), "A língua portuguesa e os média nas vivências de imigrantes nepaleses em Portugal" in Revista Comunicando, 1(1), Lisboa: SOPCOM, pp. 66-88.

BRANCO, I. (2017), “A importância dos media e da língua de acolhimento na integração de imigrantes: a comunidade portuguesa de Macau”, in Revista Migrações, Observatório das Migrações, n.º 14, Lisboa: ACM, pp. 79-103.

BRANCO, I. (2018), “Media and the Receiving Country’s Language: The Integration of Nepalese Immigrants in Portugal”, in KARIM, K. H.; e AL-RAWI, A. (eds.), Diaspora and Media in Europe. Migration, Identity, and Integration. Londres: Palgrave Macmillan, pp 147-164.

CHUNG-FAT-YIM, A.; SORGE, G. B.; e BIALYSTOK, E. (2017), “The relationship between bilingualism and selective attention in young adults: evidence from an ambiguous figures task”, The Quarterly Journal of Experimental Psychology70(3), pp. 366-372.

CUMMINS, J. (1978), “Educational implications of mother tongue maintenance in minority-language groups”, La Revue Canadienne des Langues Vivantes, 34(3), pp. 395-416.

DAGENAIS, D.; e BERRON, C. (2001), “Promoting Multilingualism through French Immersion and Language Maintenance in Three Immigrant Families”, Language, Culture and Curriculum, 14(2), pp. 142-155.

DUSTMANN, C., e FABBRI, F. (2003), “Language proficiency and labour market performance of immigrants in the UK”, The Economic Journal, 113(489), pp. 695-717.

ELIAS, N., e LEMISH, D. (2008), “Media uses in immigrant families torn between ‘inward’ and ‘outward’ paths of integration”, International Communication Gazette, 70(1): pp. 21-40.

FIGUEIREDO, S. (2013), “Decoding behaviour and phonetic constraints in second language learners: new insight for the structuralism perspective”, in Revista Migraçõe, Observatório da Imigração, n.º 11, Lisboa: ACIDI, pp. 213-230.

FLORES, C., e MELO-PFEIFER, S. (2014). “O conceito ‘Língua de Herança’ na perspetiva da Linguística e da Didática de Línguas: considerações pluridisciplinares em torno do perfil linguístico das crianças lusodescendentes na Alemanha”, Domínios da Lingu@ gem, 8(3), pp. 16-45.

GÁNDARA, P., e RUMBERGER, R. W. (2009), “Immigration, language, and education: How does language policy structure opportunity”, Teachers College Record, 111(3), pp. 750-782.

GONÇALVES, C. (2012), “Ensino e aprendizagem do Português Língua Não Materna: necessidades e representações dos alunos”, in Revista Portuguesa de Educação, 25(1), pp. 95-111.

GONÇALVES, P. (2002), “The role of ambiguity in second language change: the case of Mozambican African Portuguese”, in Second Language Research, 18(4), pp. 325-347.

GONÇALVES, T. (2011), “Linhas orientadoras da política linguística educativa da EU”, Revista Lusófona de Educação, 18, pp. 25-43.

GROSSO, M. J. (2007), “As competências do Utilizador elementar no contexto de acolhimento” in ANÇÃ, M. H.; e FERREIRA, T. (eds.) (2007), Actas do Seminário: Língua Portuguesa e Integração. Aveiro: Universidade de Aveiro/LEIP/CIDTFF.

GROSSO, M. J.; GONÇALVES, L.; CAIXINHA, J. (orgs.) (2013), Anais do IV Simpósio Mundial de Estudos sobre o Português (SIMELP), Simpósio 25: Ensino da Língua Portuguesa e Contextos de Aprendizagem. Goiânia: Faculdade de Letras da Universidade Federal de Goiás.

GROSSO, M. J. (2010), “Língua de acolhimento, língua de integração”, Horizontes de Linguística Aplicada, 9(2), pp. 61-77.

HUDDLESTON, T, TJADEN, J., e CALLIER, L. (2012), “Language”, in Immigrant Citizens Survey: How Immigrants Experience Integration in 15 European Cities. Bruxelas: Fundação Rei Balduíno e Migration Policy Group, pp. 32-39.

IBARRARAN, A.; LASAGABASTER, D.; e SIERRA, J. M. (2008), “Multilingualism and Language Attitudes: Local Versus Immigrant Students' Perceptions”, Language Awareness, 17(4), pp. 326-341.

LEIRIA, I. (2004), “Português língua segunda e língua estrangeira: investigação e ensino”, Idiomático - Revista Digital de Didáctica de Português Língua Não Materna, 3, 1.

MACHADO, F. L. (1996), “Minorias e literacia: imigrantes guineenses em Portugal”, in BENAVENTE, A. (org.), Literacia em Portugal. Resultados de uma Pesquisa Extensiva e Monográfica. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian e Conselho Nacional de Educação, pp. 171-238.

MALHEIROS, J.; e ESTEVES, A. (coord.); “Diversidade Religiosa e Linguística – Expressões Culturais Associadas à Presença Imigrante”, Diagnóstico da Situação da População Imigrante em Portugal: Características, Problemas e Potencialidades. Lisboa: ACIDI, pp. 161-170.

MARQUES, R. (2006), “A Língua Portuguesa e a Diversidade: Contexto Social e Político”, apresentado em: Colóquio sobre Políticas de Língua e Diversidade, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 7 de Novembro, 2006.

MATEUS, M. H. M. (2011), “Diversidade linguística na escola portuguesa”, Revista Lusófona de Educação, 18, pp. 13-24.

MATOS, I. A. (2016), “Diversidade linguística e ensino de português”, Millenium – Journal of Education, Technologies, and Health, 33, pp. 24-29.

MAY, S. (2006), “Language policy and minority rights”, in RICENTO, T, (ed), An introduction to language policy: Theory and method. Hoboken, New Jersey: Wiley-Blackwell, pp. 255-272.

MCCARTY, T. L. (2011), “Introducing Ethnography and Language Policy” in MCCARTY, T. L. (ed.) Ethnography and language policy. Nova Iorque: Routledge, pp. 1-28.

MCKAY, S. L., e WONG, S. L. C. (1996), “Multiple discourses, multiple identities: Investment and agency in second-language learning among Chinese adolescent immigrant students”, Harvard Educational Review, 66(3), pp. 577-609.

MEDVEDEVA, M.; e PORTES, A. (2017), “Immigrant Bilingualism in Spain: An Asset or a Liability?”, International Migration Review, 51(3), pp. 632-666.

NAYSMITH, J. (2002). “A aula multicultural de língua: desafios aos conceitos de cultura e de língua”, in MONIZ, A. (ed.), Professores de Línguas face à Mudança. Lisboa: Edinova.

OLIVEIRA, A. L. (2005), “Representações da Aprendizagem do Português Língua Segunda – o caso de duas alunas guineenses do 10º ano”, Idiomático - Revista Digital de Didáctica de Português Língua Não Materna, 4, 2.

OLIVEIRA, C. R. (coord.), e GOMES, N. (2014), “Aprendizagem da Língua Portuguesa”, Monitorizar a integração de Imigrantes em Portugal: Relatório Estatístico Decenal, Coleção Imigração em Números do OM, Lisboa, ACM, pp. 153-162.

OLIVEIRA, C. R. (coord.), e GOMES, N. (2015), “Os imigrantes querem aprender a Língua Portuguesa?”, Estatísticas de Bolso, Coleção Imigração em Números do OM, Lisboa, ACM, pp. 36-37.

OLIVEIRA, C. R. (coord.), e GOMES, N. (2016), “Aprendizagem da Língua Portuguesa”, Indicadores de Integração de Imigrantes: Relatório Estatístico Anual 2016, Coleção Imigração em Números do OM, Lisboa, ACM, pp. 77-86.

OLIVEIRA, C. R. (coord.), e GOMES, N. (2017), “Aprendizagem da Língua Portuguesa”, Indicadores de Integração de Imigrantes. Relatório Estatístico Anual 2017, Coleção Imigração em Números, Lisboa, ACM, pp. 108-120.

PARDAL, L.; DE MENDONÇA, H. F., E AFONSO, E. (2007), “Língua e Integração: representações sociais de imigrantes”, in ANÇÃ, M. H. (coord.) (2007), Aproximações à Língua Portuguesa. Cadernos do LEIP / Coleção Temas n.º 1. Aveiro: Universidade de Aveiro/CIDTFF.

PEAL, E., e LAMBERT, W. E. (1962), “The Relation of Bilingualism to Intelligence”, Psychological Monographs: General and Applied, 76(27): 1-23.

PEREIRA, D. (2005), A Diversidade Linguística em Portugal. WP FLUL/ILTEC.

PHINNEY, J. S., et al. (2001), “The role of language, parents, and peers in ethnic identity among adolescents in immigrant families”, Journal of Youth and Adolescence, 30(2), pp. 135-153.

PORTES, A., e HAO, L. (1998), “E pluribus unum: Bilingualism and loss of language in the second generation”, Sociology of Education, 71(4), pp. 269-294.

RITA, J. P., e RITA, P. L. (2004), “A Escola no caminho da fixação dos imigrantes de Leste no interior do país. Constrangimentos e desafios”. Sociedade e Trabalho, 19(20), pp. 23-37.

ROMERO, C. G. (org.) (2008), “Lenguas”, [Número especial de] Puntos de Vista – Cuadernos del Observatorio de las Migraciones y de la Convivencia Intercultural de la Ciudad de Madrid, 14.

SILVA, M. V. (2010), “O Direito à Língua – a diversidade linguística na Escola”, Saber & Educar, 15, pp 1-6.

STEVENS, G. (1999), “Age at immigration and second language proficiency among foreign-born adults”, Language in Society, 28(4), pp. 555-578.

THOMAS-SUNESSON, D.; HAKUTA, K.; e BIALYSTOK, E. (2018), “Degree of bilingualism modifies executive control in Hispanic children in the USA”, International Journal of Bilingual Education and Bilingualism, 21(2), pp. 197-206.

TRENZ, H-J. (2007), “Reconciling diversity and unity: Language minorities and European integration”, Ethnicities, 7(2), pp. 157-185.

VELTMAN, C. (1988), “Modelling the language shift process of Hispanic immigrants”, International migration review, 545-562.

 

Livros, monografias e relatórios

ANÇÃ, M. H. (coord.) (2007), Aproximações à Língua Portuguesa. Cadernos do LEIP / Coleção Temas n.º 1. Aveiro: Universidade de Aveiro/CIDTFF.

ANÇÃ, M. H.; e FERREIRA, T. (eds.) (2007), Actas do Seminário: Língua Portuguesa e Integração. Aveiro: Universidade de Aveiro/LEIP/CIDTFF.

BAÏDAK, N. (coord.): BALCON, M-P.; e MOTIEJUNAITE, A. (2017), Key Data on Teaching Languages at School in Europe – 2017 Edition. Relatório Eurydice. Luxemburgo: Serviço das Publicações Oficiais das Comunidades Europeias.

ANÇÃ, M. H. (coord.) e GROSSO, M. J: (dir.) (2010), Educação em Português e Migrações. Lisboa: Lidel.

BALBONI, P. E. (2012), Le Sfide di Babele: Insegnare le Lingue nelle Società Complesse. Novara: De Agostini.

BEACCO, J. C., e BYRAM, M. (2007), From Linguistic Diversity to Plurilingual Education: Guide for the Development of Language Education Policies in Europe. Estrasburgo: Conselho da Europa.

BEKERMAN, Z.; e GEISEN, T. (eds.) (2012), International Handbook of Migration, Minorities and Education. Understanding Cultural and Social Differences in Processes of Learning. Dordrecht, NL: Springer.

BLOMMAERT, J. (2010), The Sociolinguistics of Globalization. Cambridge: Cambridge University Press.

BLOMMAERT, J. (2013), Ethnography, superdiversity and linguistic landscapes: Chronicles of complexity, Critical Language and Literacy Studies 18. Bristol: Multilingual Matters.

CLYNE, M. G. (2003), Dynamics of language contact: English and immigrant languages. Cambridge: Cambridge University Press.

GRUPO DE ALTO NÍVEL SOBRE O MULTILINGUISMO (2007), FINAL REPORT High Level Group on Multilingualism. Luxemburgo: Serviço das Publicações Oficiais das Comunidades Europeias.

DE COSTER, I. (2009), Integração Escolar das Crianças Imigrantes na Europa. Medidas para Promover: A Comunicação com As Famílias Imigrantes e O Ensino da Língua de Origem das Crianças Imigrantes. Lisboa: Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação, Ministério da Educação.

CUMMINS, J.; e SWAIN, M. (1986), Bilingualism in Education: Aspects of Theory, Research and Practice. Londres e Nova Iorque: Longman.

EXTRA, G., e YAǦMUR, K. (eds.) (2004), Urban Multilingualism in Europe: Immigrant Minority Languages at Home and school. Clevedon, Buffalo, Toronto: Multilingual Matters.

GARCÍA, O; JOHNSON, S. I.; e SELTZER, K. (2017), The Translanguaging Classroom: Leveraging Student Bilingualism for Learning. Philadelphia: Caslon.

MACHADO, M. C. (2007), Entre Dois Mundos, Entre Duas Línguas. Escola e Linguagem em Três Histórias de Vida Luso-Africanas. Lisboa: Edições Colibri.

MAY, S. (2012), Language and minority rights: Ethnicity, nationalism and the politics of language. Abingdon-on-Thames: Routledge.

MATEUS, M. H. M.; PEREIRA, D.; e SOLLA, L. (coords.) (2012), Relatório de Progresso do Projeto Bilinguismo, Aprendizagem do Português L2 e Sucesso Educativo na Escola Portuguesa. Agosto de 2011 a Julho de 2012. Lisboa: Instituto de Linguística Teórica e Computacional.

MCHUGH, M., CHALLINOR, A. E. (2011), Improving Immigrants' Employment Prospects through Work-Focused Language Instruction, Washington, DC : Migration Policy Institute.

MILLER, E. R. (2014). The language of adult immigrants: Agency in the making, New Perspectives on Language and Education, Vol. 39. Bristol: Multilingual Matters.

PERDIGÃO, M. (coord.) (2005), Português Língua Não Materna no Currículo Nacional. Documento Orientador. Lisboa: Direção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular.

MOREIRA, M. A; e ZEICHNER, K. (eds.) (2014), “Filhos de um Deus Menor”: Diversidade Linguística e Justiça Social na Formação de Professores. Ramada: Pedago.

PASCOUAU, Y. (2014), Measures and Rules Developed in the EU Member States regarding Integration of Third Country Nationals - Comparative Report. Bruxelas: European Policy Group.

PAVLENKO, A.; e BLACKLEDGE, A. (eds.) (2004), Negotiation of identities in Multilingual Contexts. Clevedon, Buffalo, Toronto, Sidney: Multilingual Matters.

Ó RIAGÁIN, P. (2002), The Consequences of Demographic Trends for Language Learning and Diversity. Estrasburgo: Conselho da Europa.

RIBEIRO, J., (2003), Caracterização Nacional dos Alunos com Língua Portuguesa como Língua Não Materna. Lisboa: Departamento da Educação Básica, Núcleo de Organização Pedagógica e Apoios Educativos.

SALIM, I. C. (2008), Os Meios de Comunicação Étnicos em Portugal. Estudo 29 do Observatório da Imigração, Lisboa: ACIDI, I.P.

SILVA, M. V.; e GONÇALVES C. (2011), Diversidade linguística no sistema educativo português: Necessidades e práticas pedagógicas nos Ensino Básico e Secundário, Volume 46 da Coleção de Estudos do Observatório das Migrações, Lisboa: ACIDI.

SHIN, S. J. (2017), Bilingualism in schools and society: Language, identity, and policy. Nova Iorque e Londres: Routledge.

WEISSKIRCH, R. S. (ed.). (2017), Language brokering in immigrant families: Theories and contexts. Nova Iorque e Londres: Routledge.

 

Teses

BAPTISTA, A. F. S. (2009), Ensino da Língua Portuguesa em Contexto de Acolhimento: a Comunidade Ucraniana em Portugal. Lisboa: Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (dissertação de mestrado).

BARREIRO, C. M. (2009), Abordagem Cognitiva do Domínio da Polissemia pelos Alunos de Português Língua Não Materna: A Construção do Alcance Semântico das Palavras. Lisboa: Universidade Aberta (dissertação de mestrado).

BAYAN, H. (2009), Língua de Acolhimento: dos Princípios às Práticas. Lisboa: Universidade Nova de Lisboa (dissertação de mestrado).

BRANCO, I. M. (2015), A Importância dos Média e da Língua de acolhimento na Integração de Imigrantes. Estudos de Caso: a Comunidade Nepalesa de Portugal e a Comunidade Portuguesa em Macau. Lisboa: FCSH-UNL (tese de doutoramento).

CABETE, M. S. (2010), O Processo de Ensino-Aprendizagem do Português Enquanto Língua de Acolhimento. Lisboa: Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (dissertação de mestrado).

CALIÇO, T. A. B. T. D. (2008), A Dimensão Diagnóstica da Avaliação em PLNM e o seu Uso no Ensino Secundário Português Lisboa: Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (dissertação de mestrado).

CARDOSO, A. J. (2005), As Interferências Linguísticas do Caboverdiano no Processo de Aprendizagem do Português. Lisboa: Universidade Aberta (dissertação de mestrado).

CRISTIANO, J. M. F. (2009) O Desenvolvimento de Competência Linguística em Falantes Nativos e Não Nativos C1/C2. Lisboa: Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (dissertação de mestrado).

GODINHO, C. (2011), Discussão sobre o Estatuto da Língua Portuguesa em Imigrantes dos PALOP em Contexto de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências, Volume 37 da Coleção de Teses do Observatório das Migrações, Lisboa: ACIDI, I.P.

GOMES, S. M. N. C. (2006), Diversidade linguística no 1º Ciclo do Ensino Básico: concepções dos professores. Aveiro: Universidade de Aveiro (dissertação de mestrado).

GRIANI, S. (2017), Línguas, Encontros e Identidades: as Dinâmicas do Plurilinguismo e a Comunidade Italiana em Portugal. Lisboa: Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (dissertação de mestrado).

IACHIMOVSCHI, R. (2016), Papel dos Pais Moldavos na Manutenção da Língua de Herança dos Filhos em Contexto de Imigração Portuguesa. Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa (dissertação de mestrado).

JESUS, M. C. S. (2012), Estudo de Caso: O Uso da Língua Portuguesa por Jovens Provindos de Outros Países nos Domínios Privado, Público e Educativo. Lisboa: Universidade Aberta (dissertação de mestrado).

LOURENÇO, M. S. M. (2013). Educação para a diversidade e desenvolvimento fonológico na infância. Aveiro: Universidade de Aveiro (tese de doutoramento).

MACHETE, T. M. N. S. (2008), Ensino do Português como Língua Não Materna: Um Estudo de Caso na Escola Básica 2/3, Professor António Pereira Coutinho. Lisboa: FCSH-UNL (dissertação de mestrado).

MARTINS, C. M. A. (2016), A escola como espaço de confluência da diversidade linguística e cultural: olhar(es) integrador(es) sobre alunos imigrantes. Aveiro: Universidade de Aveiro (dissertação de mestrado).

MATIAS, A. R. (2013), Self-reported bilingual outcomes and language acculturation among descendants of Turkish immigrants in France, Germany and the Netherlands. Lisboa: ISCTE-IUL (tese de doutoramento).

OLIVEIRA, P. R. (2010), Integração de Alunos com Português Língua Não Materna: Um Contributo para a Gestão Curricular. Aveiro: Universidade de Aveiro (dissertação de mestrado).

OURIVES, G. A. R. (2010) A Integração de Alunos de Português Língua Não Materna no Ensino Secundário Português: Contributos para uma Educação Intercultural. Lisboa: FCSH-UNL (dissertação de mestrado).

PINTO, P. F. (2008), Política de Língua na Democracia Portuguesa (1974-2004). Lisboa: Universidade Aberta, Lisboa (tese de doutoramento).

RODRIGUES, E. C. (2009), A Integração dos Alunos de Origem Estrangeira na Escola Portuguesa. Lisboa: Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (dissertação de mestrado).

SÁ, S. M. (2007). Educação, Diversidade Linguística e Desenvolvimento Sustentável. Aveiro: Universidade de Aveiro (dissertação de mestrado).

SANTOS, C. G. (2008), O Ensino de Estratégias de Aprendizagem e o Desenvolvimento da Leitura em Português Língua Segunda. Lisboa: FCSH-UNL (dissertação de mestrado).

SEMEDO, M. G. (2011), Políticas de Integração: o Ensino/aprendizagem da Língua Portuguesa no Contexto de Acolhimento e Integração de Adultos Imigrantes. Lisboa: FCSH-UNLisboa (dissertação de mestrado).

SÉRGIO, P. C. C. (2007), Língua Portuguesa e Integração: um Estudo com Aprendentes Não Nativos no 1.º CEB. Aveiro: Universidade de Aveiro (dissertação de mestrado).

SILVA, E. M. (2010), Competências Linguísticas e Trajectórias Profissionais dos Imigrantes Ucranianos e Moldavos na AML. Lisboa: Universidade de Lisboa (dissertação de mestrado).

SOLOVOVA, O. (2014), (In)-Between a rock and a hard place: notes for an ecology of language policies from a complementary school for Eastern European immigrant children in Portugal. Coimbra: Universidade de Coimbra (tese de doutoramento).

TEIXEIRA, A. R. M. F. (2007) Bilinguismo e Língua Segunda: a Diversidade Linguística na Integração de I(e)migrantes. Lisboa: Universidade Nova de Lisboa (dissertação de mestrado).

VALENTIM, C. S. (2012), Para Falar com as Pessoas: Uma Análise Contextual de Apropriações Diferenciadas da Língua Portuguesa por Sujeitos Migrantes, Volume 40 da Coleção de Teses do Observatório das Migrações, Lisboa: ACIDI.

ZHAO, N. (2017), O Ensino de PLNM no Ensino Básico a Alunos Chineses Recém-chegados a Portugal: um Estudo de Caso. Lisboa: Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (dissertação de mestrado).