- 29 jun 2021

 

No âmbito da série de webinars Policy Dialogue Webinar Series, promovida pela rede ETHMIGSURVEYDATA (International Ethnic and Immigrant Minorities’ Survey Data Network), decorre no próximo dia 29 de junho, pelas 14:00 (hora de Lisboa), o webinar “Surveys to understand asylum related migration”. Este webinar contará com as intervenções de Cinzia Spinazzè e Sarah Henriques (European Asylum Support Office-EASO), Yuliya Kosyakova (Institute for Employment Research-IAB) e Maria Narayani Lasala-Blanco (Arizona State University, ASU).

Mais informações e inscrições aqui.

Imagem em Destaque

18 jun 2021

 

Balanço dos Diálogos OM: Acolhimento e Integração de Refugiados em Portugal

 

 

No dia 18 de junho de 2021 o Observatório das Migrações promoveu uma edição dos Diálogos OM dedicada ao tema “Acolhimento e Integração de Refugiados em Portugal”, para assinalar o Dia Mundial dos Refugiados (celebrado a 20 de junho). Este evento decorreu em formato webinar, tendo integrado o lançamento do “Relatório Estatístico do Asilo 2021 – Requerentes e Beneficiários de Proteção Internacional em Portugal", de Catarina Reis Oliveira, Diretora do OM e Coordenadora da Coleção Imigração em Números, bem como a apresentação dos mais recentes volumes da Coleção Estudos OM:  "Integração de Refugiados em Portugal: O papel e práticas das instituições de acolhimento", de Lúcio Sousa, Paulo M. Costa, Rosana Albuquerque, Olga Magano e Bárbara Bäckström (Estudo OM #68); e "De Menor a Maior: Acolhimento e Autonomia de Vida em Menores não Acompanhados", de Sandra Roberto e Carla Moleiro (Estudo OM # 69).

A este webinar assistiram online 187 participantes, provenientes sobretudo de serviços públicos e de outras instituições envolvidas no acolhimento e no apoio aos refugiados e requerentes de asilo em Portugal, incluindo as fontes de dados estatísticos e administrativos que contribuíram para o relatório, Câmaras Municipais, IPSS, escolas, organizações internacionais e da sociedade civil, etc., assim como investigadores do meio académico, estudantes do ensino superior, jornalistas, entre outros.

Os trabalhos do webinar foram iniciados pela Secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira, que começou por congratular o Observatório das Migrações e a autora do Relatório Estatístico do Asilo 2021 pelo trabalho realizado, salientando a importância deste relatório para a monitorização da resposta nacional à proteção internacional e a realização de comparações nacionais e internacionais. Dando nota do aumento global nos últimos anos do número de pessoas deslocadas contra a sua vontade no mundo, e do elevado número de crianças e jovens entre a população refugiada, a Secretária de Estado para a Integração e as Migrações fez um balanço do trabalho realizado no último ano pelo governo e pelas entidades da sociedade civil na resposta às necessidades dos requerentes de asilo, com destaque para as medidas adotadas face à pandemia COVID-19 e também para as melhorias introduzidas em resposta aos desafios identificados no anterior Relatório Estatístico do Asilo 2020.

 

 

Na apresentação do Relatório Estatístico do Asilo 2021 – Requerentes e Beneficiários de Proteção Internacional em Portugal, Catarina Reis de Oliveira, começou por salientar e agradecer o trabalho desenvolvido pelas diversas fontes estatísticas e administrativas no apuramento dos dados que serviram de base aos resultados apresentados neste relatório, que passa a integrar uma nova linha editorial da Coleção Imigração em Números, com relatórios anuais que têm como período de referência para os indicadores analisados os dois últimos anos. Salientou também o lançamento de uma nova infografia OM sobre requerentes e beneficiários de proteção internacional em Portugal que dá uma leitura rápida dos principais indicadores em análise no Relatório Estatístico do Asilo.

 

 

Catarina Reis Oliveira realçou de seguida as principais tendências identificadas no Relatório Estatístico do Asilo 2021 – Requerentes e Beneficiários de Proteção Internacional em Portugal:

- Nos últimos anos verificou-se um forte incremento do número de refugiados e requerentes de asilo no mundo, bem como de populações deslocadas no seu próprio território, em resultado de guerras, conflitos armados ou violação dos direitos humanos, tendo sido atingido o máximo histórico de 79,5 milhões de pessoas em 2019.

- No contexto da União Europeia, a Alemanha destaca-se como o país que recebe mais pedidos de asilo. Portugal encontra-se na vigésima segunda posição no conjunto da UE27 em termos de número de pedidos de asilo em 2020, registando mil requerentes de asilo e representado apenas 0,2% do total de pedidos da UE27.

- A pandemia COVID-19 dez diminuir os pedidos de proteção internacional à Europa (e a Portugal) no último ano: -33% de requerentes na UE27 e -4% de decisões proferidas na UE27; em Portugal, -45% de pedidos e -44% de decisões.

- As nacionalidades mais representadas entre os requerentes de asilo variam muito de país para país. No contexto geral da UE 27 as cinco principais nacionalidades dos requerentes de asilo são a síria, a afegã, a venezuelana, a colombiana e a iraquiana, representando estas cinco nacionalidades 42% dos requerentes de asilo na União Europeia, mas apenas 6% dos requerentes de asilo em Portugal. Em Portugal as nacionalidades mais representadas nos pedidos de proteção internacional são as da Gâmbia, Angola, Guiné-Bissau, Marrocos e Guiné, que no seu conjunto representam 53% dos pedidos de asilo em Portugal, mas apenas 5% dos pedidos no total da União Europeia. 

- Entre os requerentes de proteção internacional observa-se uma maioria de requerentes do sexo masculino, embora este impacto varie ligeiramente de país para país, bem como de requerentes entre os 18 e os 34 anos de idade, verificando-se ainda que nos últimos anos têm vindo a aumentar os pedidos de proteção de menores não acompanhados.

- Nos dois últimos anos Portugal surge entre os países com maiores taxas de recusa de pedidos de proteção internacional, devido ao incremento de pedidos infundados e inadmissíveis.

- Analisando as decisões positivas na União Europeia relativamente a pedidos de proteção internacional, verifica-se que nestas decisões aumenta a prevalência do sexo feminino e de menores de idade, por comparação com a prevalência nos pedidos de proteção internacional, o que revela que existe um reconhecimento da necessidade de proteção específica destes grupos.

- Na União Europeia nem todas as nacionalidades têm o mesmo grau de reconhecimento da necessidade de proteção internacional – em 2020 as nacionalidades com a maior taxa de reconhecimento a pedidos de proteção internacional na UE27 foram a venezuelana (95%) e a síria (84,9%). Nos últimos dois anos Portugal tem recebido mais requerentes de países com baixas taxas de reconhecimento, como Angola ou Marrocos, o que ajuda a compreender o aumento das taxas de recusa de pedidos de proteção no país.

- Considerando os mecanismos europeus de proteção a requerentes de asilo, Portugal destaca-se na reinstalação de requerentes de asilo a partir da países extracomunitários, surgindo no grupo de estados-membros da UE27 com maior número de pessoas reinstaladas (na oitava posição em 2019 com 375 pessoas reinstaladas e na sexta posição em 2020 com 222 pessoas reinstaladas), bem como no mecanismo de recolocação de menores não acompanhados a partir da Grécia, sendo o terceiro país com maior compromisso de recolocação destes menores.

- Os pedidos de proteção internacional a Portugal têm vindo a aumentar, sendo este incremento particularmente evidente nos últimos anos, coincidindo com o ocorrido a nível europeu: o país registou em 2019 1.834 pedidos, valor mais elevado alguma vez registado. Em 2020, porém, Portugal regista uma redução do número de pedidos de proteção internacional para 1.002, tendência coincidente com o verificado no contexto europeu e que reflete os efeitos da pandemia COVID-19.

- Tal como no contexto da UE27, os requerentes de proteção internacional em Portugal são maioritariamente homens, e com idades entre os 18 e os 34 anos.

- Nos últimos anos tem aumentado o número de pedidos de menores não acompanhados, em especial no último ano à luz do compromisso com a recolocação de menores não acompanhados a partir da Grécia.

- Os requerentes espontâneos de asilo acolhidos nos Centros de Acolhimento (CAR) do Conselho Português para os Refugiados (CPR), enquanto aguardam a análise da admissibilidade do seu pedido, na sua maioria são homens, têm entre os 18 e os 35 anos e são pessoas que vêm sozinhas.

- O Grupo Operativo coordenado pelo ISS entre 2012 e 2020 prestou apoio social no acolhimento dos requerentes de asilo que vêm admitido o seu pedido (e que são apoiados pelo ISS) e dos requerentes cujo pedido foi recusado e que estão em situação de recurso da decisão de não admissibilidade (apoiados pela SCML). Atendendo a que aumentaram bastante os indeferimentos de proteção internacional nos últimos anos, duplicaram os encaminhamentos do Grupo Operativo para apoio da SCML (de 327 em 2018 sobem para 702 em 2019 e 741 em 2020), passando esses encaminhamentos a representar 75% dos processos avaliados pelo Grupo Operativo no último ano.

- Os requerentes de asilo chegados ao abrigo de mecanismos de proteção europeus foram enquadrados a partir de 2015 num novo programa de acolhimento coordenado pelo ACM e com a duração de 18 meses, sendo definida uma rede de parceria e cooperação de entidades de acolhimento descentralizada por todo o território nacional, organizadas em consórcios com parcerias diretas com o Estado português. 

- A maioria dos beneficiários de proteção conclui a fase de phasing out do acolhimento (últimos seis meses do programa de acolhimento ao abrigo de mecanismos europeus) sem ter emprego, sem dominar a língua portuguesa e com desafios na área da habitação. Em 2020 apenas 13% destas pessoas foram consideradas autónomas, sendo 77% encaminhadas para apoios sociais.

- Estima-se que 53,4% dos beneficiários de proteção internacional em Portugal encontravam-se, no final do ano de 2020, já em situação de autonomia e, por isso, já em situação de contribuição para o país.

- No final de 2020 estariam em Portugal um total de 2.461 pessoas com título válido de proteção internacional: 1.230 com estatuto de refugiado, sendo as três nacionalidades mais numerosas as da Síria, Eritreia e Iraque; e 1.231 com título de proteção subsidiária, sendo as três nacionalidades mais numerosas as da Síria, Iraque e Ucrânia.

- Nos últimos anos tem incrementado o número de autorizações de residência por reagrupamento familiar em extensão à proteção internacional concedida.

- O incremento do número de beneficiários de proteção internacional em Portugal começou a refletir-se também no universo dos que adquiriram a nacionalidade portuguesa depois de acumularem 5 anos de residência, especialmente nos últimos dois anos: 115 titulares de proteção internacional adquiriram a nacionalidade portuguesa em 2019 e 167 em 2020. Nestes “novos cidadãos portugueses” destacam-se os indivíduos do sexo masculino, e como principais países de nacionalidade de origem, o Paquistão, o Irão, a Guiné e a Eritreia.

O relatório completo pode ser consultado aqui.

A apresentação do Estudo OM #68, "Integração de Refugiados em Portugal: O papel e práticas das instituições de acolhimento", foi efetuada pelo coordenador do estudo, Lúcio Sousa, que começou por agradecer às instituições que participaram no estudo e por enquadrar os objetivos e a metodologia deste estudo, no qual foram inquiridas, em entrevistas exploratórias e através de um inquérito online, instituições locais que participaram no acolhimento de refugiado ao abrigo do programa de recolocação entre 2015 e 2018. O autor sumarizou as principais conclusões e recomendações resultantes deste estudo, cujos resultados demonstraram o forte envolvimento da sociedade civil portuguesa no mecanismo europeu de recolocação de refugiados, motivado por sentimentos de solidariedade, missão e postura humanitária, fazendo também uma síntese dos principais obstáculos percecionados por estas instituições no decorrer do processo de acolhimento e integração dos refugiados recolocados. O estudo completo pode ser encontrado aqui.

 

 

O Estudo OM #69, "De Menor a Maior: Acolhimento e Autonomia de Vida em Menores não Acompanhados”, de Sandra Roberto e Carla Moleiro, foi apresentado por Sandra Roberto, que começou por elencar os seus objetivos, nomeadamente caracterizar os menores não acompanhados em Portugal e conhecer os seus processos de transição para a maioridade, bem como os contextos de receção e acolhimento destes menores no país, tendo para isso sido inquiridos menores não acompanhados acolhidos em Portugal e entrevistados stakeholders envolvidos no seu processo de acolhimento. A autora resumiu os principais resultados do estudo, que permitiu, por um lado, identificar a forma como os menores não acompanhado são caracterizados pelos stakeholders e os obstáculos e boas práticas percecionados por esses stakeholders e, por outro lado, caracterizar os trajetos migratórios dos menores não acompanhados e as suas perceções sobre o processo de acolhimento em Portugal, nomeadamente em relação ao acolhimento residencial, à escola, à sociedade portuguesa e à transição para a autonomia de vida e para o mercado de trabalho. A apresentação foi concluída com uma síntese das principais recomendações decorrentes do estudo. O estudo completo pode ser encontrado aqui.

 

 

À apresentação destas novas publicações do Observatório das Migrações seguiu-se um debate, moderado pela Alta-Comissária para as Migrações, Sónia Pereira, que contou com as intervenções de José Barão (Diretor Nacional Adjunto do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras), Susana Viana (Diretora da Unidade de Intervenção Social do Instituto da Segurança Social, IP), Ana Sofia Branco (Coordenadora da Equipa de Acolhimento dos Requerentes de Asilo e Recolocados da SCML), Joana Rodrigues (Responsável pela área dos Migrantes e Refugiados da Cruz Vermelha Portuguesa), Mónica Farinha (Presidente do Conselho Português para os Refugiados) e Diaby Abdourahmane (Presidente da Direção da Associação de Refugiados em Portugal). 

 

 

No encerramento da sessão, a Alta-Comissária para as Migrações, Sónia Pereira, destacou a importância dos Relatórios Estatísticos do Asilo do Observatório das Migrações e da recolha sistemática de dados de monitorização, assim como o papel dos trabalhos académicos no aprofundamento de conhecimentos e na reflexão sobre a atuação nesta matéria. Sónia Pereira deu de seguida nota de diversas melhorias que foram sendo introduzidas nos procedimentos de asilo em Portugal em resultado da experiência que foi sendo adquirida nos últimos anos, tendo sido implementadas diversas medidas com o objetivo de agilizar e uniformizar procedimentos e de fortalecer respostas articuladas e integradas.

Os dados do Relatório Estatístico do Asilo 2021 – Requerentes e Beneficiários de Proteção Internacional em Portugal apresentados neste webinar foram alvo de cobertura em diversos órgãos de comunicação social, tendo sido destacado o aumento do número de pedidos de asilo a Portugal, que atingiu em 2019 o valor mais elevado de sempre.

 

Notícias relacionadas:
- Portugal com 1.834 pedidos de asilo em 2019, valor mais alto de sempre, Agência Lusa / Observador / TVI / RTP / Correio da Manhã

 

Imagem em Destaque

18 jun 2021

No dia 18 de junho de 2021 o Observatório das Migrações promoveu uma edição dos Diálogos OM dedicada ao tema “Acolhimento e Integração de Refugiados em Portugal”, para assinalar o Dia Mundial dos Refugiados (celebrado a 20 de junho). Este evento decorreu em formato webinar, tendo integrado o lançamento do “Relatório Estatístico do Asilo 2021 – Requerentes e Beneficiários de Proteção Internacional em Portugal", de Catarina Reis Oliveira, Diretora do OM e Coordenadora da Coleção Imigração em Números, bem como a apresentação dos mais recentes volumes da Coleção Estudos OM:  "Integração de Refugiados em Portugal: O papel e práticas das instituições de acolhimento", de Lúcio Sousa, Paulo M. Costa, Rosana Albuquerque, Olga Magano e Bárbara Bäckström (Estudo OM #68); e "De Menor a Maior: Acolhimento e Autonomia de Vida em Menores não Acompanhados", de Sandra Roberto e Carla Moleiro (Estudo OM # 69).

 

 

A sessão de abertura do webinar contou com a intervenção da Secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira, e a sessão de encerramento com os comentários da Alta-Comissária para as Migrações, Sónia Pereira, que moderou também um debate de comentário às novas publicações apresentadas, com as intervenções de José Barão (Diretor Nacional Adjunto do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras), Susana Viana (Diretora da Unidade de Intervenção Social do Instituto da Segurança Social, IP), Ana Sofia Branco (Coordenadora da Equipa de Acolhimento dos Requerentes de Asilo e Recolocados da SCML), Joana Rodrigues (Responsável pela área dos Migrantes e Refugiados da Cruz Vermelha Portuguesa), Mónica Farinha (Presidente do Conselho Português para os Refugiados) e Diaby Abdourahmane (Presidente da Direção da Associação de Refugiados em Portugal). 

 

 

 

A este webinar assistiram online 187 participantes, provenientes sobretudo de serviços públicos e de outras instituições envolvidas no acolhimento e no apoio aos refugiados e requerentes de asilo em Portugal, incluindo as fontes de dados estatísticos e administrativos que contribuíram para o relatório, Câmaras Municipais, IPSS, escolas, organizações internacionais e da sociedade civil, etc., assim como investigadores do meio académico, estudantes do ensino superior, jornalistas, entre outros.

Os dados do Relatório Estatístico do Asilo 2021 – Requerentes e Beneficiários de Proteção Internacional em Portugal apresentados neste webinar foram alvo de cobertura em diversos órgãos de comunicação social, tendo sido destacado o aumento do número de pedidos de asilo a Portugal, que atingiu em 2019 o valor mais elevado de sempre.

Conheça aqui em maior detalhe o que marcou este webinar.

 

Notícias relacionadas:
- Portugal com 1.834 pedidos de asilo em 2019, valor mais alto de sempre, Agência Lusa / Observador / TVI / RTP / Correio da Manhã

Imagem em Destaque

- 24 jun 2021

 

No âmbito da iniciativa GRASE – Gender and Race Stereotypes Eadication in Labor Market Access, que tem por finalidade identificar a reprodução inconsciente de estereótipos em função do género e etnia de que são alvo as mulheres migrantes e refugiadas no acesso ao mercado de trabalho, a Aproximar organiza no dia 24 de junho, pelas 15 horas, uma sessão online de Comunidade de Práticas acerca das barreiras no acesso ao mercado de trabalho enfrentadas pelas mulheres migrantes. Este debate contará, entre outros participantes, com os comentários de Catarina Reis Oliveira, Diretora do Observatório das Migrações

Inscrições aqui.

Imagem em Destaque

- 18 jun 2021

 

Para assinalar o Dia Mundial dos Refugiados (celebrado a 20 de junho), o Observatório das Migrações promove, no dia 18 de junho de 2021, pelas 15h, uma edição dos Diálogos OM dedicada ao tema “Acolhimento e Integração de Refugiados em Portugal”, que irá decorrer em formato webinar.

Neste encontro, cuja sessão de abertura ficará a cargo da Sra. Secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira, será lançado o Relatório Estatístico do Asilo 2021 – Requerentes e Beneficiários de Proteção Internacional em Portugal, de Catarina Reis Oliveira, Diretora do OM e Coordenadora da sua Coleção Imigração em Números.

A sessão integrará ainda o lançamento dos mais recentes volumes da Coleção Estudos OM: Integração de Refugiados em Portugal: O papel e práticas das instituições de acolhimento, de Lúcio Sousa, Paulo M. Costa, Rosana Albuquerque, Olga Magano e Bárbara Bäckström (Estudo OM #68); e De Menor a Maior: Acolhimento e Autonomia de Vida em Menores não Acompanhados, de Sandra Roberto e Carla Moleiro (Estudo OM # 69).

Estas novas publicações serão comentadas por um painel que integrará as intervenções de José Barão (Diretor Nacional Adjunto do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras), Susana Viana (Diretora da Unidade de Intervenção Social do Instituto da Segurança Social, IP), Ana Sofia Branco (Coordenadora da Equipa de Acolhimento dos Requerentes de Asilo e Recolocados da SCML), Joana Rodrigues (Responsável pela área dos Migrantes e Refugiados da Cruz Vermelha Portuguesa), Mónica Farinha (Presidente do Conselho Português para os Refugiados) e Diaby Abdourahmane (Presidente da Direção da Associação de Refugiados em Portugal). Este debate terá moderação da Sra. Alta-Comissária para as Migrações, Sónia Pereira, que encerrará a sessão.

Consulte o programa completo aqui.

Poderá assistir ao webinar através deste endereço.

 

Imagem em Destaque

- 30 jun 2021

 

A Rede SHARE e a Caritas Italiana organizam no dia 30 de junho, entre as 13:00 e as 16:00 (hora de Lisboa), uma mesa redonda virtual dedicada aos programas e iniciativas para refugiados de oportunidades de educação no ensino superior. Nesta mesa redonda serão identificadas as abordagens, enquadramentos e práticas atualmente a ser desenvolvidas, com um foco em abordagens baseadas em direitos que oferecem soluções estáveis para os refugiados.

Mais informações aqui e inscrições aqui.

Imagem em Destaque

- 30 jun 2021

 

A rede Metropolis International promove no dia 30 de junho, pelas 16:00 (hora de Lisboa), o webinar “How Architecture and Urban Plans Matter to Immigrant and Refugee Integration”. Embora a arquitetura e o planeamento urbano não sejam dimensões habitualmente enfatizadas no processo de integração de imigrantes e refugiados, afetam de forma significativa a sua qualidade de vida. Este webinar irá explorar os efeitos da arquitetura e do planeamento urbano no acolhimento, integração e bem-estar dos imigrantes e refugiados, oferecendo evidências da relevância destes fatores e discutindo a melhor forma de gerir a chegada destas populações às nossas sociedades.

Mais informações e inscrições aqui.

Imagem em Destaque

18 jun 2021

Para assinalar o Dia Mundial dos Refugiados (celebrado a 20 de junho), o Observatório das Migrações promove, no dia 18 de junho de 2021, pelas 15h, uma edição dos Diálogos OM dedicada ao tema “Acolhimento e Integração de Refugiados em Portugal”, que irá decorrer em formato webinar.

Neste encontro, cuja sessão de abertura ficará a cargo da Sra. Secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira, será lançado o Relatório Estatístico do Asilo 2021 – Requerentes e Beneficiários de Proteção Internacional em Portugal, de Catarina Reis Oliveira, Diretora do OM e Coordenadora da sua Coleção Imigração em Números.

A sessão integrará ainda o lançamento dos mais recentes volumes da Coleção Estudos OM: Integração de Refugiados em Portugal: O papel e práticas das instituições de acolhimento, de Lúcio Sousa, Paulo M. Costa, Rosana Albuquerque, Olga Magano e Bárbara Bäckström (Estudo OM #68); e De Menor a Maior: Acolhimento e Autonomia de Vida em Menores não Acompanhados, de Sandra Roberto e Carla Moleiro (Estudo OM # 69).

Estas novas publicações serão comentadas por um painel que integrará as intervenções de José Barão (Diretor Nacional Adjunto do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras), Susana Viana (Diretora da Unidade de Intervenção Social do Instituto da Segurança Social, IP), Ana Sofia Branco (Coordenadora da Equipa de Acolhimento dos Requerentes de Asilo e Recolocados da SCML), Joana Rodrigues (Responsável pela área dos Migrantes e Refugiados da Cruz Vermelha Portuguesa), Mónica Farinha (Presidente do Conselho Português para os Refugiados) e Diaby Abdourahmane (Presidente da Direção da Associação de Refugiados em Portugal). Este debate terá moderação da Sra. Alta-Comissária para as Migrações, Sónia Pereira, que encerrará a sessão.

Consulte o programa completo aqui.

A participação é livre, requerendo inscrição através deste link.

 

Imagem em Destaque

- 26 jun 2021

 

No dia 26 de junho, pelas 16h, realiza-se o webinar “(Ser) imigrante (e) mulher nos Açores”, uma iniciativa conjunta do Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais da Universidade dos Açores (CICS.UAc), da Direção Regional das Comunidades/Governo Regional, da Associação dos Imigrantes dos Açores (AIPA) e da Cooperativa Regional de Economia Solidária CRL (CRESAÇOR/Gabinete de Apoio a Migrantes), financiada pelo Fundo Asilo Integração e Imigração (FAMI) e pelo Governo Regional dos Açores.

Este webinar conta com a conferência do Prof. José Carlos Marques do CICS.NOVA.IPLeiria, intitulada, “Migrações femininas: a realidade portuguesa”, seguida da apresentação dos resultados do estudo coordenado pela Prof. Piedade Lalanda (CICS.UAc) sobre as experiências de mulheres imigrantes de nacionalidade brasileira, ucraniana e de países africanos, a residir na Região Autónoma dos Açores. Terão ainda lugar intervenções da Alta-Comissária para as Migrações, Sónia Pereira, do Diretor Regional das Comunidades do Governo Regional dos Açores, José Andrade, e dos representantes das entidades parceiras – Leoter Viegas pela AIPA e Ana Silva pela CRESAÇORES/GAI.

Para inscrições para o evento presencial, no Auditório de Camões (Ponta Delgada), contactar, até 14 junho, sofia.fp.fonseca@uac.pt.

Imagem em Destaque

17 jun 2021

 

 

No dia 17 de junho, pelas 13 horas (hora de Lisboa), realiza-se o seminário online “Estimating International Migration Flows”. Os dados disponíveis acerca das migrações internacionais estão longe de ser suficientes e precisos, o que influencia negativamente a análise demográfica das alterações na população, aumentando a incerteza das estimativas e projeções da população. Nas últimas duas décadas, a comunidade académica, as organizações internacionais e os institutos de estatística têm trabalhado continuamente na melhoria da recolha de dados e da qualidade das estimativas, tendo sido obtidos progressos significativos. Este seminário procura fazer um ponto de situação, explorando os desenvolvimentos mais recentes nas metodologias para estimativa das migrações.

Mais informações e inscrições aqui.

Imagem em Destaque

07 jun 2021 - 14 jun 2021

 

A Divisão de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (DICAD) organiza, nos dias 7 e 14 de junho, das 10H00 às 12H30, o webinar “Comportamentos Aditivos e Dependências em minorias étnicas, migrantes e refugiados - Que respostas?”. 

Este webinar pretende lançar um diálogo intra e interinstitucional sobre as práticas em curso, desafios e respostas que poderão melhorar a deteção, acompanhamento e tratamento dos comportamentos aditivos e dependências nas minorias étnicas, migrantes e refugiados. 

A primeira sessão deste webinar, no dia 7 de junho, será dedicada ao tema “Necessidades e respostas em CAD, a partir do terreno”, seguindo-se uma segunda sessão, a 14 de junho, sobre “Perspetivas globais”, que inclui os comentários da Alta-Comissária para as Migrações, Sónia Pereira.

Mais informações e inscrições aqui.

Imagem em Destaque

 

O workshop “Exploring Migration in Rural Areas”, organizado pela Dutch Association for Migration Research, irá decorrer nos dias 2 e 16 de junho, com o objetivo de reunir investigadores com interesse em alargar e descentralizar o foco da investigação para as migrações internacionais nas áreas rurais. A maioria da investigação ao nível dos estudos migratórios centra-se nos centros urbanos, ignorando os processos sociais específicos envolvidos nas migrações internacionais para as regiões rurais, as pequenas localidades e as zonas marginalizadas ou em decréscimo. Estas áreas têm composições sociais, estruturas comunitárias e desenvolvimentos espaciais específicos que podem originar dinâmicas diferentes das observadas nos grandes centros urbanos.

As candidaturas para este workshop estão abertas até ao dia 28 de maio, através do formulário disponível aqui.

Imagem em Destaque

- 28 mai 2021

 

O Migration Policy Group promove no dia 28 de maio, pelas 13 horas (hora de Lisboa), o webinar “Do policies matter? Exploring the Links between Indicators of Integration Policies and Outcomes through MIPEX”, que irá explorar a relação entre as políticas de integração e os resultados em termos da integração de migrantes. Este webinar tem como objetivo fornecer um panorama das políticas de integração existentes a nível global e do seu impacto na concretização do potencial de todos os migrantes de contribuírem com as suas capacidades para o mercado de trabalho e a vida quotidiana dos seus países de acolhimento. O webinar conta com a participação de investigadores e académicos que têm estudado o efeito das políticas de integração através da utilização do Migrant Integration Policy Index (MIPEX), medindo resultados de integração relacionados com a migração laboral e a participação no mercado de trabalho, a participação nas restantes áreas da vida e as atitudes da opinião pública.

Mais informações e inscrições aqui.

Imagem em Destaque

- 01 jun 2021

 

O Centro de Administração e Políticas Públicas do ISCSP-Universidade de Lisboa promove, no dia 1 de junho, às 11 horas, uma conversa online em torno do tema “Investigar a população e mobilidade: como e porquê”. Este encontro contará com a participação de Catarina Reis Oliveira (Diretora do Observatório das Migrações e Professora Auxiliar Convidada do ISCSP-ULisboa), Francisco Lima (presidente do Instituto Nacional de Estatística) e Jorge Malheiros (IGOT-ULisboa). A conversa andará em torno da investigação sobre População e Mobilidade, nomeadamente sobre que dados existem e podem ser utilizados e sobre a relevância e interesse da investigação sobre estes tópicos.

O encontro irá decorrer via Zoom (ID 895 2755 0822).

Imagem em Destaque

- 10 jun 2021

 

Os consórcios HumMingBird (Enhanced Migration Measures from a Multidimensional Perspective, projeto H2020) e SoBigData++ (European Integrated Infrastructure for Social Mining and Big Data Analytics, projeto H2020) e a comissão permanente Meth@Mig (Methodological Approaches and Tools in Migration Research) da rede IMISCOE encontram-se a organizar um workshop online dedicado ao tema Ethics of Big Data for Migration Research, a decorrer nos dias 7 e 8 de outubro de 2021, para o qual se procuram contributos.

Nos últimos anos têm vindo a ser demonstradas as potencialidades da utilização de megadados no estudo das migrações. Ao mesmo tempo, têm também sido levantadas preocupações relativamente a uma recolha de dados ética e segura, a uma utilização dos dados que garanta a privacidade e o respeito pelos direitos humanos e a potenciais consequências não previstas dos algoritmos de inteligência artificial. Pretende-se que este workshop constitua um espaço de reflexão acerca das implicações da utilização de megadados na investigação acerca das migrações.

Para este workshop, procuram-se contribuições de académicos e profissionais de diversas áreas e setores que queiram apresentar a sua experiência, investigação e conhecimento acerca da utilização de megadados e de novas tecnologias nos estudos migratórios, nomeadamente dos aspetos teóricos, filosóficos e éticos desta utilização, da sua aplicação em contextos reais e das consequências em termos sociais e políticos. 

Poderão ser submetidos artigos originais com uma dimensão aproximada de 5000-8000 palavras ou resumos alargados com uma dimensão aproximada de 2000 palavras, a submeter como artigo completo antes do evento. Os trabalhos selecionados serão convidados para publicação num número especial de uma revista científica a anunciar posteriormente.

As propostas poderão ser submetidas até 10 de junho.

Consulte a call completa aqui

Imagem em Destaque

- 19 mai 2021

 

No dia 19 de maio, entre as 15h e as 16h15, realiza-se um webinar do Migration Policy Centre dedicado ao tema “Public attitudes towards immigration and immigrants: What are the factors affecting them and what can we do about it?”. Neste webinar serão examinados os principais fatores que influenciam as atitudes do público em relação à imigração e aos imigrantes, com ênfase especial na diferenciação dos efeitos dos fatores económicos e dos valores culturais. A partir de evidências empíricas a nível global, serão feitas recomendações sobre como influenciar estas atitudes no futuro.

Mais informações e inscrições aqui.

Imagem em Destaque

- 06 mai 2021

 

O Grupo de Investigação “Identidades, Culturas, Vulnerabilidades” do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa promove, no dia 6 de maio, entre as 11h e as 12h30, o seminário “The material politics of migration and border technologies”, que terá como oradora Nina Amelun, do ICS-ULisboa.

Este seminário irá decorrer via Zoom.

Mais informações aqui.

Imagem em Destaque

- 12 mai 2021

 

Decorre no dia 12 de maio, pelas 14h30, mais um webinar da série “Encontros de Estudos sobre a China”, organizada pelo CIES-ISCTE e pelo CEI-ISCTE. Este Encontro terá como oradora convidada a investigadora Scarlett Yee-man Ng (Universidade de Oxford), com a comunicação “Researching Chinese Queer Migration to the UK”.

Poderá aceder ao webinar através desta ligação.

Mais informações aqui.

Imagem em Destaque

- 04 mai 2021

 

A rede ETHMIGSURVEYDATA (International Ethnic and Immigrant Minorities’ Survey Data Network) inicia no dia 4 de maio a série de webinars Policy Dialogue Webinar Series.

O primeiro webinar desta série será dedicado ao tema "Building EU common indicators on migrant integration: The role of survey data on migrants and ethnic minorities", contando com intervenções de Béatrice d’Hombres (JRC-EC), Marco Scipioni (JRC-EC) e Laura Morales (Ethmigurveydata), e os comentários de Franz Eiffe (Eurofound).

Este webinar decorre entre as 14h e as 15h30 (hora de Lisboa), no dia 4 de maio. 

Inscrições aqui.

Imagem em Destaque

- 05 mai 2021

 

No dia 5 de maio, pelas 15h, irá decorrer o webinar “Migration and the Illicit Global Economy”, em que será analisada a alegada convergência entre as migrações irregulares e o crime, naquilo que é frequentemente designado como “economia global ilícita” – os fluxos transfronteiriços de pessoas, bens, dinheiro e informação que não são autorizados pelo país de origem ou pelo país de destino.

Neste webinar, serão apresentados desafios empíricos às narrativas dominantes relacionadas com o crime ilícito, segundo as quais as migrações irregulares podem permitir a passagem de potenciais ameaças através das barreiras de segurança dos estados. Apesar de serem amplamente disseminadas na opinião pública, estas representações nem sempre são apoiadas pelas evidências, mas influenciam políticas e práticas com consequências negativas tanto para os migrantes como para as comunidades locais, cuja vida quotidiana passa a ser sujeita a criminalização, vigilância e controlo.

Mais informações aqui.

Imagem em Destaque