- 28 set 2022

 

A TAIPA – Organização Cooperativa para o Desenvolvimento Integrado de Odemira promove no dia 28 de setembro o Seminário “TAIPA – 22 anos de intervenção”, evento que assinala o 22.º aniversário da organização. Este evento irá decorrer no Cineteatro Camacho Costa, em Odemira, centrando-se em quatro grandes temáticas, representativas das áreas de intervenção da TAIPA: integração socioprofissional; intervenção social; integração de migrantes; e formação socioprofissional. O segundo painel do evento, dedicado à integração de migrantes, contará com a intervenção de Rita Monteiro, da equipa do Observatório das Migrações, com a comunicação “Os contributos da imigração: o que nos dizem os números?”. 

Mais informações aqui e inscrições aqui.

Imagem em Destaque

- 26 set 2022

 

Decorre no dia 26 de setembro, pelas 14:30, no auditório B203 do edifício 2 do Iscte, em Lisboa, a conferência final do projeto Fecundidade, Imigração e Aculturação (FEMINA), que procurou avaliar os fatores de ordem social, cultural e institucional que determinam as experiências e expectativas de saúde sexual e reprodutiva (SSR) em famílias portuguesas e em famílias cabo-verdianas a viver em Portugal.

O projeto FEMINA, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), com a referência PTDC/SOC-SOC/30025/2017, é complementar ao projeto Promoção da Cidadania e Direitos Sexuais em Imigrantes (ProCima), financiado pelo Fundo para o Asilo, a Migração e a Integração, que visa contribuir para a integração das populações imigrantes em Portugal através da promoção da Saúde Sexual e Reprodutiva numa abordagem integrada de saúde e direitos humanos.

Saiba mais sobre esta conferência aqui e sobre o projeto FEMINA aqui.

Imagem em Destaque

15 set 2022 - 17 set 2022

 

Realiza-se de 15 a 17 de setembro de 2022, em Lisboa, o XVI Congresso da Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação, que terá como tema “Educação e Cidades: tempos, espaços, atores e culturas”. No âmbito deste Congresso decorre no dia 15 de setembro, pelas 17:15, a mesa redonda “Cidadanias, culturas e ação coletiva”, que contará com a participação de Catarina Reis Oliveira, Diretora do Observatório das Migrações.

Saiba mais sobre este Congresso aqui.

Imagem em Destaque

- 13 out 2022

 

A Universidade Católica de Leuven (KU Leuven) está a aceitar candidaturas para uma bolsa de início de doutoramento, enquadrada num grupo de investigação focado nas migrações europeias e nas políticas de fronteira, e em particular na proteção de refugiados e migrantes vulneráveis no cruzamento de diferentes tipos de fronteiras europeias. O projeto irá estudar diferentes regimes de fronteira dentro e fora da Europa, o modo como os migrantes vulneráveis são tratados, e a relação com diversos mecanismos de inclusão e exclusão. 

Procuram-se candidatos com mestrado em ciências sociais e/ou humanidades e com interesse e experiência de investigação em migrações e políticas de fronteira, que tenham desenvolvido ou se encontrem a desenvolver uma proposta preliminar de doutoramento. A bolsa terá uma duração de um ano, com início a 1 de janeiro de 2023 e possibilidade de prorrogação por mais um ano. O candidato terá apoio para o desenvolvimento do seu projeto de investigação e para a candidatura a financiamento para a continuação do projeto. 

O prazo de candidatura decorre até 13 de outubro de 2022.

Mais informações aqui.

Imagem em Destaque

- 22 set 2022

 

A Rede Europeia das Migrações do Luxemburgo promove no dia 22 de setembro o workshop “Forecasting models in migration: state of play and new developments”, que decorre em formato presencial na Universidade do Luxemburgo. Este workshop de desenvolvimento de competências irá reunir representantes de organizações internacionais, de agências da União Europeia, da Comissão Europeia, dos Estados-Membros e investigadores com o objetivo de discutir o estado atual dos modelos de previsão das migrações e os desafios e o futuro das previsões na gestão das migrações. 

Mais informações aqui.

Imagem em Destaque

04 set 2022 - 09 set 2022

 

 

 

A conferência internacional 2022 da rede Metropolis realiza-se em Berlim, entre 4 e 9 de setembro de 2022, com o tema “Changing Migration, Migration in Change”. Esta conferência constitui uma plataforma de debate entre peritos de todo o mundo acerca dos desenvolvimentos mais recentes ao nível das migrações, integração e diversidade. As sessões plenárias incluem temas como o impacto das múltiplas crises nas migrações e na mobilidade, os desenvolvimentos tecnológicos e o futuro do trabalho, o impacto das alterações climáticas nas migrações, as condições para migrações justas, e um fórum de alto nível sobre o futuro das migrações.

Mais informações aqui.

Imagem em Destaque

O Diário da República Eletrónico contém uma área com a legislação mais relevante no domínio das migrações, disponibilizando versões em inglês, e, para alguns casos específicos, também em ucraniano.

Consulte esta informação aqui.

Imagem em Destaque

O European University Institute promove, nos dias 5, 6 e 7 de outubro de 2022, o curso de formação “Effective Migration Management: Putting Policy into Action”, que procura desenvolver e fortalecer competências de gestão das migrações e um conhecimento mais aprofundado do tema tanto a nível teórico como prático. Durante o curso serão exploradas as diferentes fases de gestão das migrações, combinando conhecimentos da teoria das migrações e da investigação empírica com informação sobre os desafios e oportunidades inerentes aos processos políticos e sobre as perspetivas práticas a nível operacional. O curso irá também mostrar aos participantes como desenvolver e aplicar abordagens de gestão das migrações, desde a conceção das políticas à sua implementação, levando em consideração os constrangimentos e as oportunidades operacionais.

Este curso decorre presencialmente no campus do EUI em Florença, Itália. As candidaturas decorrem até 15 de setembro.

Mais informações aqui.

Imagem em Destaque

A Autónoma Academy promove a 5.ª edição da sua Pós-Graduação em Direito das Migrações, que terá início em novembro de 2022. Esta pós-graduação, coordenada por Constança Urbano de Sousa, visa dotar os profissionais de conhecimentos sólidos acerca dos diferentes e complexos quadros normativos que regulam as várias vias de imigração, o asilo e a proteção internacional, bem como os diferentes estatutos jurídicos, possibilitando-lhes uma atuação mais consistente e rigorosa neste domínio.

Saiba mais aqui.

Imagem em Destaque

- 20 jun 2022

 

No dia 20 de junho de 2022, Dia Mundial dos Refugiados, o Observatório das Migrações (OM) promoveu uma edição dos Diálogos OM dedicada ao tema Trajetórias de Refúgio em Portugal

Este evento OM que decorreu presencialmente na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, e teve transmissão online em direto, contou com 104 participantes, provenientes sobretudo de serviços públicos e de outras instituições envolvidas na integração de refugiados e requerentes de asilo em Portugal, incluindo as fontes de dados estatísticos e administrativos que contribuíram para o relatório, Câmaras Municipais, IPSS, organizações internacionais e da sociedade civil, assim como investigadores do meio académico, estudantes do ensino superior, jornalistas, entre outros.

Esta sessão, que contou com a presença da Secretária de Estado da Igualdade e Migrações, Isabel Almeida Rodrigues, e do Vogal do Conselho Diretivo do ACM, José Reis, integrou o lançamento do Relatório Estatístico do Asilo 2022 – Requerentes e Beneficiários de Proteção Internacional em Portugal, da autoria de Catarina Reis Oliveira, Diretora do OM e Coordenadora da Coleção Imigração em Números.

A sessão incluiu também um painel dedicado ao tema Experiências femininas de refúgio, em que foi lançado o mais recente volume da Coleção Estudos OM: Trajetórias de refúgio: análise de género, intersecionalidade e políticas públicas em Portugal, de Beatriz Padilla, Thais França e Adriana Vieira (Estudo OM #71). Este painel integrou ainda a apresentação de dois volumes da Coleção Teses OM: A violência sexual e de género nos campos de população refugiada: Enquadramento e análise legal, de Tatiana Morais (Tese OM #52); e Políticas, Instituições e Percursos Migratórios de Mulheres e Meninas Refugiadas em Portugal e Dinamarca, de Sofia de Almeida (Tese OM #54).

Seguiu-se um painel de debate, moderado por Vera Eloi da Fonseca, Coordenadora da Equipa de Projeto Desigualdades Intersecionais do ACM, com vários convidados: Joana Topa (ISMAI e CIEG, ISCSP-ULisboa), Pedro Góis (CES - Universidade de Coimbra), Cristina Santinho (CRIA - ISCTE-IUL), Inês Carreirinho (Conselho Português para os Refugiados), Ana Sofia Branco (Santa Casa da Misericórdia de Lisboa) e Enise Dalci (Iniciativa de Empoderamento das Mulheres em Situações de Refúgio / Fórum Refúgio Portugal). 

Na abertura da sessão, a Secretária de Estado da Igualdade e Migrações, Isabel Almeida Rodrigues, salientou a importância dos Relatórios Estatísticos do Asilo do Observatório das Migrações para a monitorização da resposta nacional em termo de proteção internacional. Isabel Almeida Rodrigues destacou também as alterações implementadas em Portugal nos últimos anos para reforçar a resposta à proteção internacional e a abertura do país ao acolhimento de refugiados na sequência das recentes crises internacionais no Afeganistão e na Ucrânia. No final da sua intervenção, a Secretária de Estado da Igualdade e Migrações lançou ao OM e ao ACM o desafio da criação de um grupo de trabalho sobre dados estatísticos dentro do Grupo Operativo Único, com o objetivo de estabilizar a informação administrativa e estatística, cujos dados são determinantes para aprofundar os processos de integração.

Na apresentação do Relatório Estatístico do Asilo 2022 - Requerentes e Beneficiários de Proteção Internacional em Portugal, a autora Catarina Reis de Oliveira, Diretora do Observatório das Migrações, começou por agradecer o empenho das várias instituições que permitiram o acesso aos dados administrativos nacionais que serviram de base às análises efetuadas no Relatório.

Catarina Reis Oliveira realçou de seguida as principais tendências identificadas no Relatório Estatístico do Asilo 2022 - Requerentes e Beneficiários de Proteção Internacional em Portugal:
- Nos últimos anos houve um incremento das populações deslocadas no mundo devido a guerras, conflitos armados ou violação dos direitos humanos: em 2020 atingiu-se um valor inédito de 1 em cada 95 pessoas no mundo deslocada contra a sua vontade (uma década antes era 1 em cada 159 pessoas no mundo).
- Portugal não se encontra entre os principais destinos de proteção internacional no mundo ou na Europa: a Europa concentra apenas 12,9% dos refugiados do mundo e Portugal só 0,1% dos deslocados em proteção na União Europeia.
- A pandemia COVID-19 fez diminuir o número de pedidos de proteção internacional à Europa (e a Portugal) em 2020 e 2021: em 2020, houve -33% de requerentes na UE27 e -4% de decisões proferidas na UE27; em Portugal, verificaram-se -45% de pedidos e -44% de decisões; embora se recupere ligeiramente em 2021.
- As nacionalidades mais representadas nos requerentes de proteção na UE27 são os nacionais da Síria e Afeganistão. 
- Os pedidos de proteção internacional na UE27 são dominados por pessoas do sexo masculino (mais de metade em todos os Estados-membros) e por pessoas com 18 a 34 anos de idade.
- Em 2020, Portugal esteve entre os Estados-membros com maiores taxas de recusa de proteção, por ter incrementado o número de pedidos infundados e inadmissíveis no país - Portugal teve maior prevalência de pedidos de proteção por nacionalidades com baixa taxa de reconhecimento da necessidade de proteção; em 2021, Portugal regressou ao grupo de países com maiores taxas de deferimento de pedidos de proteção.
- Na UE27, a concessão do estatuto de refugiado prevalece por comparação ao estatuto de proteção subsidiária, mas varia de país para país em função do perfil de requerentes.
- As mulheres e os menores de idade apresentam taxas de reconhecimento mais elevadas da necessidade de proteção, na UE27.
- A taxa de desistência de pedidos de proteção internacional varia de país para país, em função do perfil dos requerentes (há nacionalidades com maior prevalência de abandonos).
- Verificou-se um reforço das respostas europeias através de mecanismos europeus de proteção internacional, sendo o ano de 2021 marcado pelo programa de admissão humanitária de afegãos
- Entre 2015 e 2021, a chegada de pessoas para proteção internacional em Portugal assumiu oito canais distintos: (1) pedidos espontâneos ou não programados; (2) mecanismo de recolocação 2015/2018; (3) Acordo Turquia; (4) Reinstalação; (5) Recolocação ad hoc de barcos humanitários; (6) Recolocação por Acordo Bilateral com Grécia; (7) Recolocação voluntária de Menores Não Acompanhados da Grécia; e (8) programa de Admissão Humanitária de Afegãos.
- Observa-se um incremento dos pedidos de proteção a Portugal nos últimos anos: de 275 pedidos em 2011, o país passou para 1.834 pedidos em 2019, valor mais elevado alguma vez apurado no país; em 2020, porém, Portugal regista uma redução do número de pedidos de proteção internacional em território nacional para 1.002, o que reflete os efeitos da pandemia COVID-19; já em 2021, o país recupera o número de pedidos para 1.537, muito por consequência da sua adesão ao programa de admissão humanitária de afegãos.
- Os requerentes de proteção internacional têm direito a receber apoio social para o seu acolhimento no país, caso não disponham de recursos socioeconómicos; estima-se que metade dos beneficiários de proteção internacional em Portugal se encontrava no final de 2021 em acompanhamento social (não autónomos).
- Desde 2015 existem em Portugal dois modelos de acolhimento: um para pedidos espontâneos ou não programados e outro para chegadas programadas através de mecanismos europeus (durante 18 meses).
- No final de 2021 estariam em Portugal 2.725 beneficiários de proteção internacional com título válido, valor que inclui o incremento do reagrupamento familiar em extensão à proteção internacional concedida.
- Identifica-se um incremento das aquisições de nacionalidade portuguesa entre beneficiários de proteção internacional.

O relatório completo pode ser consultado aqui e o seu sumário aqui.

Com base nos dados analisados no Relatório Estatístico do Asilo 2022, foi também lançada a nova Infografia do OM sobre Proteção Internacional em Portugal, disponível aqui.

O painel Experiências femininas de refúgio iniciou-se com o lançamento do Estudo OM #71, Trajetórias de refúgio: análise de género, intersecionalidade e políticas públicas em Portugal, apresentado por duas das autoras, Beatriz Padilla e Adriane Vieira. Este estudo partiu de uma perspetiva de género e visou compreender as trajetórias e experiências vivenciadas por mulheres em situação de refúgio em Portugal, especificamente na Área Metropolitana de Lisboa. Na apresentação dos resultados as autoras destacaram os desafios e obstáculos específicos vivenciados pelas mulheres em situação de refúgio (distintas formas de violência ao longo das suas trajetórias de refúgio, desafios da maternidade e responsabilidades com os filhos), o processo de negociação e aprendizagem dos papéis de género experienciado pelas refugiadas, e a necessidade de um maior enfoque na perspetiva de género nas políticas e programas/projetos destinados a pessoas refugiadas. O estudo completo pode ser encontrado aqui e o seu sumário aqui.

Seguiu-se a apresentação da Tese OM #52, A violência sexual e de género nos campos de população refugiada: Enquadramento e análise legal, de Tatiana Morais, que começou por enquadrar os diferentes tipos de violência enfrentados pelas mulheres refugiadas ao longo das várias fases do ciclo de refúgio, apresentando depois os detalhes da sua investigação, que se focou nas sobreviventes de violência sexual e de género em campos de população refugiada no Quénia e na Etiópia, procurando refletir sobre uma possível resposta a estes casos, baseada na integração da mediação penal, um mecanismo de justiça restaurativa, no sistema de justiça penal. A Tese completa pode ser consultada aqui.

A última apresentação do painel foi a da Tese OM #54, Políticas, Instituições e Percursos Migratórios de Mulheres e Meninas Refugiadas em Portugal e Dinamarca, de Sofia de Almeida, que no seu estudo procurou explorar o impacto das políticas de asilo e das práticas institucionais nos processos migratórios de mulheres e meninas refugiadas em Portugal e na Dinamarca, a partir das suas experiências e perceções ao longo do percurso. A comparação entre as experiências das mulheres refugiadas nos dois países permitiu uma reflexão sobre as políticas e as práticas e mecanismos existentes nos diferentes contextos. A Tese encontra-se disponível aqui.

Para debater os resultados destas publicações do OM, o evento contou de seguida com um painel de comentadores que integrou representantes da academia (Joana Topa, do ISMAI e do CIEG do ISCSP-ULisboa; Pedro Góis, do CES da Universidade de Coimbra; e Cristina Santinho, do CRIA do ISCTE-IUL), das instituições de apoio aos refugiados (Inês Carreirinho, do Conselho Português para os Refugiados; e Ana Sofia Branco, da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa) e das associações de refugiados (Enise Dalci, da Iniciativa de Empoderamento das Mulheres em Situações de Refúgio / Fórum Refúgio Portugal). Este painel de debate foi moderado por Vera Eloi da Fonseca, Coordenadora da Equipa de Projeto Desigualdades Intersecionais, ACM. 

No encerramento da sessão, o Vogal do Conselho Diretivo do ACM, José Reis, agradeceu os contributos trazidos pelos vários estudos apresentados para a definição de políticas públicas informadas, salientando as atividades já desenvolvidas pelo ACM na promoção de respostas sensíveis ao género.

 

Notícias relacionadas:
- Em 2020, Portugal só acolheu 0,1% dos refugiados da União Europeia, Público
- 40% dos pedidos de asilo foram de afegãos, Observador
- Portugal só acolheu 0,1% dos refugiados da UE em 2020 e registou elevadas taxas de recusa, Jornal de Notícias
- Portugal não é destino de eleição dos refugiados, mas pedidos de asilo aceites têm aumentado, Lusa / Notícias ao Minuto
- Trajectories of refuge in Portugal: presentation of recent studies, European Website on Integration
- Applicants for and beneficiaries of international protection in Portugal: Asylum 2022 statistical report, European Website on Integration

 

Imagem em Destaque

20 jun 2022

No dia 20 de junho de 2022, Dia Mundial dos Refugiados, o Observatório das Migrações (OM) promoveu uma edição dos Diálogos OM dedicada ao tema Trajetórias de Refúgio em Portugal

Este evento OM que decorreu presencialmente na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, e teve transmissão online em direto, contou com 104 participantes, provenientes sobretudo de serviços públicos e de outras instituições envolvidas na integração de refugiados e requerentes de asilo em Portugal, incluindo as fontes de dados estatísticos e administrativos que contribuíram para o relatório, Câmaras Municipais, IPSS, organizações internacionais e da sociedade civil, assim como investigadores do meio académico, estudantes do ensino superior, jornalistas, entre outros.

Esta sessão, que contou com a presença da Secretária de Estado da Igualdade e Migrações, Isabel Almeida Rodrigues, e do Vogal do Conselho Diretivo do ACM, José Reis, integrou o lançamento do Relatório Estatístico do Asilo 2022 – Requerentes e Beneficiários de Proteção Internacional em Portugal, da autoria de Catarina Reis Oliveira, Diretora do OM e Coordenadora da Coleção Imigração em Números.

 

 

A sessão incluiu também um painel dedicado ao tema Experiências femininas de refúgio, em que foi lançado o mais recente volume da Coleção Estudos OM: Trajetórias de refúgio: análise de género, intersecionalidade e políticas públicas em Portugal, de Beatriz Padilla, Thais França e Adriana Vieira (Estudo OM #71). Este painel integrou ainda a apresentação de dois volumes da Coleção Teses OM: A violência sexual e de género nos campos de população refugiada: Enquadramento e análise legal, de Tatiana Morais (Tese OM #52); e Políticas, Instituições e Percursos Migratórios de Mulheres e Meninas Refugiadas em Portugal e Dinamarca, de Sofia de Almeida (Tese OM #54).

Seguiu-se um painel de debate, moderado por Vera Eloi da Fonseca, Coordenadora da Equipa de Projeto Desigualdades Intersecionais do ACM, com vários convidados: Joana Topa (ISMAI e CIEG, ISCSP-ULisboa), Pedro Góis (CES - Universidade de Coimbra), Cristina Santinho (CRIA - ISCTE-IUL), Inês Carreirinho (Conselho Português para os Refugiados), Ana Sofia Branco (Santa Casa da Misericórdia de Lisboa) e Enise Dalci (Iniciativa de Empoderamento das Mulheres em Situações de Refúgio / Fórum Refúgio Portugal). 

 

 

Conheça aqui em maior detalhe o que marcou este evento.

 

Notícias relacionadas:
- Em 2020, Portugal só acolheu 0,1% dos refugiados da União Europeia, Público
- 40% dos pedidos de asilo foram de afegãos, Observador
- Portugal só acolheu 0,1% dos refugiados da UE em 2020 e registou elevadas taxas de recusa, Jornal de Notícias
- Portugal não é destino de eleição dos refugiados, mas pedidos de asilo aceites têm aumentado, Lusa / Notícias ao Minuto
- Trajectories of refuge in Portugal: presentation of recent studies, European Website on Integration
- Applicants for and beneficiaries of international protection in Portugal: Asylum 2022 statistical report, European Website on Integration

 

Imagem em Destaque

- 15 jul 2022

 

No âmbito da KISMIF Conference 2022, que decorre na cidade do Porto de 13 a 16 de julho de 2022, realiza-se no dia 15 de julho, entre as 10:0 e as 12:00, o painel “Populisms, extremisms and diversity(ies). Processes/strategies of emancipation and resistance(s)”. Este painel será moderado por Rylan Kafara (University of Alberta, Canada) e irá integrar as comunicações “The new Portuguese nationalist-populist right: a reflection on geographical patterns and expressions of xenophobia” (Paulo Miguel Madeira, Katielle Silva, Jorge Malheiros e Diogo Gaspar Silva), “Populisms and anti-gypsyism in Portugal and in Europe” (Maria Manuela Mendes), “Emancipation, resistance and cultural affirmation of cigano/roma in Portugal” (Olga Magano), “Use and resistance of cape-verdean creole in the post-colonial city: music in migratory context” (Ana Estevens) e “Geohybrid art or the art of emotions in geopolitical context” (Pedro Caetano).

Mais informações aqui.

Imagem em Destaque

- 06 jul 2022

 

Realiza-se no dia 6 de julho, pelas 15 :00 (hora de Lisboa), o webinar “Far(ther) from home: pathways to protection beyond the EU for those fleeing Ukraine”, promovido pelo Migration Policy Centre e o Robert Schuman Centre for Advanced Studies. Este webinar irá explorar os aspetos técnicos e políticos das várias vias de proteção relacionadas com a deslocação global a partir da Ucrânia. A resposta global à deslocação a partir da Ucrânia tem sido notável não apenas pela sua rapidez e alcance, mas também pelo desenvolvimento de abordagens complementares à proteção baseadas em parcerias com a comunidade e o setor privado. À medida que o conflito continua, será discutido de que forma os países estão a desenvolver ou a expandir as atuais iniciativas de proteção, de que forma estas iniciativas contribuem para a divisão global de responsabilidades e se de facto permitem aliviar a pressão nos principais países de acolhimento e quais as perspetivas a longo prazo.

Mais informações e inscrições aqui.

Imagem em Destaque

- 03 jul 2022

 

Encontra-se a decorrer, até ao dia 3 de julho, a chamada para apresentação de comunicações ou posters no VI Congresso Português de Demografia, que se realiza em Lisboa, nos dias 13 e 14 de outubro de 2022, sob o tema “(In)sustentabilidade demográfica”, organizado pela Associação Portuguesa de Demografia em parceria com o Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP/ULisboa) e o Centro de Administração e Políticas Públicas (CAPP).

Este congresso pretende ser um momento de questionamento útil sobre a (in)sustentabilidade demográfica, organizando-se em torno de grandes temas: 
1. Demografia, política e perspetivas internacionais 
2. Fecundidade, famílias e conjugalidades 
3. Mortalidade, Saúde e Epidemiologia 
4. Migrações internacionais 
5. População, habitação e desigualdades 
6. Envelhecimento e longevidade 
7. Demografia, economia e políticas públicas 
8. Mobilidades e territórios 
9. Demografia e ambiente 

São aceites comunicações em português, castelhano, francês ou inglês. A submissão de propostas deverá ser realizada no site da Associação Portuguesa de Demografia.

Imagem em Destaque

- 29 jun 2022

 

A plataforma Tamo Junto, que oferece formação gratuita sobre empreendedorismo destinada a migrantes, realiza no dia 29 de junho, entre as 09h30 e as 16h, na Fundação Calouste Gulbenkian, o I Evento Tamo Junto Portugal: Desafios e oportunidades para imigrantes empreenderem em Portugal e PALOP. A sessão da manhã terá a participação de instituições que apoiam empreendedores em Portugal e nos PALOPs, abordando os desafios e oportunidades do processo. A sessão da tarde serão incluirá conteúdos, histórias reais e mentoria coletiva para os empreendedores e empreendedoras participantes. Inscrições aqui

Imagem em Destaque

- 04 jul 2022

 

Realiza-se no dia 4 de julho, pelas 13:00 (hora de Lisboa), o webinar “Current attitudes towards Ukrainian refugees: Responses of European governments in 8 European countries”, organizado pelo Migration Policy Centre, o Robert Schuman Centre for Advanced Studies e a Research Network on Ukrainian Migration.

Com mais de 5 milhões de pessoas deslocadas devido à guerra na Ucrânia, este evento irá analisar a coesão social nas sociedades de acolhimento, as atitudes dos cidadãos em relação aos refugiados ucranianos recém-chegados e a sua perceção de como a situação está a ser gerida pelos governos. Esta discussão terá por base um inquérito realizado em 8 países (Áustria, República Checa, Alemanha, Hungria, Itália, Polónia, Roménia e Eslováquia), entre maio e junho de 2022, que revelou em todos os países um forte apoio em relação às pessoas deslocadas da Ucrânia, mas também que os governos necessitam de demonstrar a existência de um plano para gerir a deslocação em massa para que as atitudes positivas não se alterem.

Mais informações e inscrições aqui.

Imagem em Destaque

- 20 jun 2022

 

 

 

No dia 20 de junho, Dia Mundial dos Refugiados, entre as 15h e as 18h, o Observatório as Migrações promove uma sessão dos Diálogos OM dedicada ao tema Trajetórias de Refúgio em Portugal

Neste encontro, será lançado o Relatório Estatístico do Asilo 2022 – Requerentes e Beneficiários de Proteção Internacional em Portugal, de Catarina Reis Oliveira, Diretora do OM e autora do Relatório da Coleção Imigração em Números.

A sessão integrará ainda um painel dedicado ao tema Experiências femininas de refúgio, em que será lançado o mais recente volume da Coleção Estudos OM: Trajetórias de refúgio: análise de género, intersecionalidade e políticas públicas em Portugal, de Beatriz Padilla, Thais França e Adriana Vieira (Estudo OM #71). Este painel contará ainda com a apresentação de dois volumes da Coleção Teses OM: Políticas, Instituições e Percursos Migratórios de Mulheres e Meninas Refugiadas em Portugal e Dinamarca, de Sofia de Almeida (Tese OM #54); e A violência sexual e de género nos campos de população refugiada: Enquadramento e análise legal, de Tatiana Morais (Tese OM #52). 

Estas novas publicações serão comentadas e debatidas por um painel de convidados que terá representantes da academia, das instituições de apoio aos refugiados e das associações de refugiados.

Este evento poderá ser assistido online ou presencialmente, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Consulte o programa completo do evento.

A participação é livre, requerendo inscrição através deste link.

Imagem em Destaque

20 jun 2022

No dia 20 de junho, Dia Mundial dos Refugiados, entre as 15h e as 18h, o Observatório as Migrações promove uma sessão dos Diálogos OM dedicada ao tema Trajetórias de Refúgio em Portugal

Neste encontro, será lançado o Relatório Estatístico do Asilo 2022 – Requerentes e Beneficiários de Proteção Internacional em Portugal, de Catarina Reis Oliveira, Diretora do OM e autora do Relatório da Coleção Imigração em Números.

A sessão integrará ainda um painel dedicado ao tema Experiências femininas de refúgio, em que será lançado o mais recente volume da Coleção Estudos OM: Trajetórias de refúgio: análise de género, intersecionalidade e políticas públicas em Portugal, de Beatriz Padilla, Thais França e Adriana Vieira (Estudo OM #71). Este painel contará ainda com a apresentação de dois volumes da Coleção Teses OM: Políticas, Instituições e Percursos Migratórios de Mulheres e Meninas Refugiadas em Portugal e Dinamarca, de Sofia de Almeida (Tese OM #54); e A violência sexual e de género nos campos de população refugiada: Enquadramento e análise legal, de Tatiana Morais (Tese OM #52). 

Estas novas publicações serão comentadas e debatidas por um painel de convidados que terá representantes da academia, das instituições de apoio aos refugiados e das associações de refugiados.

Este evento poderá ser assistido online ou presencialmente, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Consulte o programa completo do evento.

A participação é livre, requerendo inscrição através deste link.

Imagem em Destaque

- 03 jun 2022

 

Realiza-se no dia 3 de junho, entre as 13:45 e as 20:30 (hora de Lisboa), o workshop “Drivers and migration policies shaping international student mobility in OECD countries”, promovido pelo Migration Policy Centre e pelo Robert Schuman Centre for Advanced Studies

Cada vez mais países encaram os estudantes internacionais como uma fonte potencial de trabalhadores altamente qualificados. Em particular, a internacionalização do ensino superior e os benefícios associados à imigração de uma força de trabalho qualificada têm levado os governos a procurar novas forma de atrair estudantes estrangeiros. Ao longo da última década, algumas destas políticas procuraram aumentar a inscrição de estudantes internacionais através do aumento do apoio financeiro e da facilitação dos pedidos de visa para estudo. Em simultâneo, os governos têm investido em procurar reter os estudantes internacionais após a graduação, de forma a beneficiarem do treino de talento estrangeiro. 

Este workshop irá reunir investigadores internacionais que têm contribuído para o crescente debate académico acerca das políticas determinantes da mobilidade dos estudantes internacionais, constituindo uma oportunidade única para discutir os resultados da investigação mais recente sobre este tema. O workshop irá abordar também as implicações destes resultados para o debate sobre as políticas nesta área.

Mais informações e inscrições aqui.

Imagem em Destaque

- 23 mai 2022

 

 

O Migration Policy Centre e o Robert Schuman Centre for Advanced Studies promovem no dia 23 de maio, entre as 10:30 e as 12:00 (hora de Lisboa), o webinar “Migration and humanitarian crisis in Ukraine”, em que serão partilhadas perspetivas críticas acerca do impacto da guerra na Ucrânia nas migrações na Europa. Este webinar contará com três intervenções: “Poland’s response to the humanitarian crisis in Ukraine: actions, actors and challenges in a multi-level setting”, por Marta Pachocka (University of Warsaw); “Trends in Ukrainian migration: past, present and uncertain future”, por Olena Malynovska (National Institute For Strategic Studies); e “EU solidarity and responsibility-sharing in light of the Ukrainian refugee emergency”, por Marie De Somer (European Policy Centre).

Mais informações e inscrições aqui.

Imagem em Destaque